Liga Europa

Sporting empata sem golos no Vicent Calderón

Sporting empata sem golos no Vicent Calderón

 

Lusa/AO online   Futebol   11 de Mar de 2010, 19:37

O Sporting empatou hoje sem golos no Estádio Vicent Calderón, na capital espanhola, com o Atlético de Madrid, em jogo da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa de futebol
Um Sporting sereno e solidário impôs hoje um empate 0-0 na visita ao Atlético de Madrid, na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa em que jogou uma hora em inferioridade e terminou com nove futebolistas.

Dois amarelos a Grimi (9 e 31 minutos), ambos por falta sobre o ex-benfiquista Reyes, e um vermelho directo a Tonel (89), mais do que forçado, custaram aos "leões" uma desvantagem numérica que limitou as suas ambições perante um adversário sem ideias e claramente ao seu alcance.

Apesar das adversidades em campo alheio, a equipa de Carlos Carvalhal revelou-se consistente a segurar o “nulo” e poucas vezes tremeu atrás: os "colchoneros" de Quique Flores (ex-treinador do Benfica) estão longe de constituir uma verdadeira equipa e vivem à custa dos nomes sonantes do ataque, hoje muito discretos (Simão saiu aos 58), excetuando Agüero e Reyes.

Maradona, Figo e Futre viram da bancada o 10º classificado da Liga espanhola sem ideias para ultrapassar a organização montada por Carlos Carvalhal, que manietou o adversário e conseguiu assim o sexto desafio seguido sem sofrer golos, um recorde para o guarda-redes Rui Patrício.

A primeira fase do jogo foi muito morna, com domínio repartido, mas sem situações de apuro para os guarda-redes.

Progressivamente, os "colchoneros" subiram no terreno e Rui Patrício foi obrigado a maior atenção, principalmente aos desequilíbrios provocados por Agüero, como aos 25 minutos em que entrou na área em slalom entre vários contrários e atirou em jeito, errando o alvo por pouco.

A resposta do Sporting surgiu nos pés de Liedson, que aproveitou uma falha contrária para, à entrada da área, rematar à trave, passando a bola por cima do guarda-redes.

Aos 31 minutos, Grimi foi expulso e deixou os "leões" reduzidos a 10 elementos: Miguel Veloso abandonou o meio campo para se colocar na lateral esquerda.

O Atlético de Madrid intensificou então a pressão, mas a verdade é que os lusos se revelaram compactos, valendo a sua capacidade de sacrifício e entre-ajuda, bem como a falta de pontaria de Agüero em dois lances em cima do intervalo.

Os madrilenos continuaram instalados no meio campo “leonino”, mas o seu domínio era inconsequente, pois faltava arte para criar perigo, exceptuando a genialidade de Agüero (55) que, em nova investida, "sentou" Miguel Veloso e Polga, mas, em cima da linha de fundo, não conseguiu iludir Rui Patrício, com pouco trabalho, acertando-lhe na cara.

O Sporting mal se aventurava em terrenos ofensivos - também não precisava de arriscar, pois joga a segunda mão em casa - mas a verdade é que nunca sentiu o sufoco de um adversário que se revelou impotente para o encostar à parede, revelando também lacunas na finalização.

Mesmo com mais um jogador, o Atlético de Madrid manteve uma linha de quatro defesas que nem se desfez nos quatro minutos de desconto, após Tonel ser sido expulso (89) na sequência de um empurrão com queda teatral de Agüero.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.