Liga Zon Sagres

Sporting de Braga quebra período negro e "afunda" Naval

Sporting de Braga quebra período negro e "afunda" Naval

 

Lusa/AOnline   Futebol   24 de Set de 2010, 21:39

O Sporting de Braga regressou às vitórias ao bater em casa a Naval (3-1) e igualou provisoriamente o rival Vitória de Guimarães na segunda posição da Liga de futebol, com 11 pontos, à sexta jornada

Ao invés, Naval 1.º de Maio não descola da cauda da tabela e pode mesmo cair na última posição se Rio Ave e Marítimo vencerem.
Na ressaca de uma semana negra (derrota com o FC Porto e empate em Paços de Ferreira, para o campeonato, e goleada às mãos do Arsenal, na Liga dos Campeões), Domingos Paciência tinha pedido aos jogadores para reagirem e, apesar de um início titubeante e nervoso, estes corresponderam.
O técnico operou algumas alterações no “onze”, colocando Paulo César e Salino no banco (com Hugo Viana a ver na bancada) e dando a titularidade a Mossoró pela primeira vez esta época, seis meses após grave lesão.
Do lado da Naval, outra equipa também em ciclo negativo (duas derrotas e um empate que a colocaram na antepenúltima), Marinho foi titular em vez de Camora.
A equipa da Figueira da Foz tentou explorar o elo mais fraco da defesa bracarense – o lateral esquerdo Elderson – o jogo seguia sem grandes motivos de interesse quando, aos 27 minutos, Luís Aguiar desferiu uma “bomba” a obrigar defesa difícil de Salin para a frente, Sílvio voltou a rematar para nova defesa apertada do guarda-redes brasileiro que, contudo, não conseguiu parar a segunda recarga, agora de Mossoró.
Desde 08 de fevereiro de 2009 que o médio ofensivo brasileiro não marcava, o último tinha sido frente ao Sporting, em Alvalade, na vitória “arsenalista” por 3-2.
Logo a seguir (28), Alan, de ângulo muito apertado, rematou com violência com o pé esquerdo, mas a bola embateu na barra e, ainda antes do intervalo, Moisés ameaçou de cabeça (36) e Orestes esteve perto do empate (45), mas Filipe defendeu bem a cabeçada do central da Naval.
A segunda parte começou praticamente com o segundo golo, muito consentido pelo guardião da Naval: Lima centrou já na área adversária, o corte de Orestes ganhou muita altura e foi cair entre o poste e Salin, que, incomodado pela presença de Alan, não conseguiu anular um lance fácil e deixou a bola anichar-se nas suas redes.
Até ao final, o Sporting de Braga geriu o resultado, tendo permitido mais iniciativa ofensiva à Naval, mas esta nunca conseguiu criar reais situações de perigo e foi mesmo a equipa da casa a ampliar a vantagem com um golo de Paulo César (81) após boa assistência de Salino.
Aos 89 minutos, Fábio Júnior apareceu sem marcação entre os centrais bracarenses e, de pé esquerdo após centro da direita, fez o golo de honra da Naval


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.