Sindicato aponta adesão "expressiva" a greve da Função Pública nos Açores

Sindicato aponta adesão "expressiva" a greve da Função Pública nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jul de 2016, 17:24

A adesão à greve de dois dias decretada para hoje e sexta-feira na Função Pública nos Açores tem sido "expressiva", segundo o SINTAP, mas residual, de acordo com as contas do Governo Regional.

 

Segundo Luís Armas, dirigente da Direção dos Açores do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos (SINTAP), a adesão à greve tem sido "bastante expressiva" em alguns serviços públicos.

"No Hospital da Horta, por exemplo, há serviços a cumprir serviços mínimos, como a urgência e os cuidados intensivos, ao passo que na consulta externa a adesão à greve anda à volta dos 80 por cento", exemplificou aquele responsável.

Luís Armas adiantou que as expetativas do SINTAP é de que estes números sejam ainda mais expressivos nesta sexta-feira, o segundo dia de greve decretado por aquela estrutura sindical, como sinal de "protesto" contra a falta de diálogo do Governo e contra a recusa do executivo em aumentar a remuneração complementar na região.

Os números avançados pelo sindicato, não coincidem, no entanto, com os divulgados pelo Governo açoriano, que fala de uma adesão residual neste primeiro dia de greve.

De acordo com os dados divulgados pela Direção Regional da Organização da Administração Pública (DROAP), a adesão dos funcionários públicos a esta paralisação não ultrapassa um por cento.

Segundo levantamento efetuado pela DROAP, de um universo de 17.527 trabalhadores da Administração Regional, apenas 328 terão feito greve, ao passo que na administração local, de um total de 1.784 trabalhadores (falta contabilizar os dados de quatro câmaras municipais) terão aderido à paralisação apenas dez trabalhadores, ou seja, 0,5%.

A greve do SINTAP representa um protesto pela falta de diálogo e de negociação coletiva da parte do Governo Regional, que atualizou, "de forma unilateral", o complemento de pensão e do complemento ao abono de família, em valores muitos baixos, e recusou aumentar a remuneração complementar.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.