Setecentos mil litros de água vão diariamente de Tondela para Viseu

Setecentos mil litros de água vão diariamente de Tondela para Viseu

 

Lusa/AO online   Nacional   31 de Out de 2017, 17:53

Setecentos metros cúbicos (m3) de água, isto é, 700.000 litros, são levados diariamente do reservatório da empresa Águas do Planalto, concelho de Tondela, para três pontos do concelho de Viseu, de forma a fazer face à seca.


De acordo com o administrador da empresa Águas do Planalto, Ferreira dos Santos, esta operação começou a ser realizada na segunda-feira e deverá manter-se nos próximos dias.

"Esta operação não tem tempo limite, é uma espécie de navegação à vista. Ou seja, hoje nós estamos tranquilos e pensamos que não vai afetar em nada o nosso abastecimento, mas não sei o que o S. Pedro tem reservado para os próximos meses e temos de ir avaliando", esclareceu.

O fornecimento de água está a ser feito a pedido do Município para Viseu, que retira assim menos água da Barragem de Fagilde e acaba por libertar mais água para os outros três municípios que serve: Nelas, Mangualde e Penalva do Castelo.

Cada camião cisterna que parte de Mosteiro de Fráguas, de um reservatório com capacidade para 14 mil m3 de água, leva em média por viagem, até Viseu, cerca de 30 m3 de água. Este percurso está a ser executado por quatro ou cinco camiões cisterna, que vão repetindo a operação várias vezes ao longo do dia.

Carlos Almeida é um dos condutores de um desses camiões cisterna que, a meio da tarde, já contava com três cargas feitas.

"Usando duas bombas para encher o camião, demoramos cerca de 20 minutos a encher, mais 20 'minutitos' de viagem e outros tantos para descarregar em Farminhão", informou.

No entanto, ainda é preciso contar com os imprevistos. Há pouco, avariou uma das bombas e assim demora-se o dobro do tempo a carregar", relatou.

À agência Lusa, o administrador da Águas do Planalto sublinhou que a água que vai sendo transportada para Viseu sai do seu reservatório devidamente tratada.

"Garantimos a qualidade da água à saída das nossas instalações. Durante o transporte, assim como os reservatórios de Viseu, já não é da nossa responsabilidade", acrescentou.

É aliás deste mesmo reservatório que sai a água para os cinco municípios - Tondela, Santa Comba Dão, Mortágua, Carregal do Sal e Tábua - que a Águas do Planalto abastece.

"Neste momento, temos reserva para três meses de consumo médio. Por isso, esta água não nos vai fazer falta. Futuramente, pensamos aumentar a nossa reserva, elevando em mais um metro a quota da nossa albufeira", referiu.

Segundo Ferreira dos Santos, esta obra significaria uma reserva de mais 300 mil metros cúbicos de água, que se traduziria num consumo médio de água para quatro meses dos 77 mil habitantes dos cinco municípios.

Sobre os custos da água disponibilizada a Viseu, apontou ainda que neste momento ainda não está definido o seu valor, uma vez que há outras entidades a fornecer e com quem pretendem alinhar o preço.

"Em todo o caso, é nossa intenção não ganhar um cêntimo sequer com esta operação. O valor que resultar será atribuído a entidades dos cinco municípios que tenham ajudado ou continuem a ajudar as vítimas do trágico incêndio de dia 15 de outubro", concluiu.

A Águas do Planalto tem ainda em curso uma campanha, em que oferecem a cada cliente, que se dirige às suas instalações, um carvalho, como brinde, de forma a ajudar na reflorestação da região.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.