Segundo crematório dos Açores deve abrir este ano na Praia da Vitória


 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Jan de 2016, 13:13

O segundo crematório dos Açores deverá entrar em funcionamento, este ano, na Praia da Vitória, na ilha Terceira, depois de o projeto inicial ter sido adiado durante cerca de cinco anos, disse hoje o presidente da autarquia.

"Concebemos todos os projetos e depois não conseguimos encontrar parceiros privados que explorassem de forma viável esta infraestrutura, tendo em conta o investimento que estava em causa", declarou o presidente da Câmara da Praia da Vitória, Roberto Monteiro, em conferência de imprensa.

Em janeiro de 2011, a autarquia anunciou, em conjunto com a Junta de Freguesia de Santa Cruz, um investimento de 600 mil euros na construção de uma capela mortuária, com zona de crematório, que deveria entrar em funcionamento em 2012.

Passados cinco anos, o projeto manteve-se na mesma freguesia, mas o investimento foi reduzido para 420 mil euros, numa parceria entre a câmara, a junta e o Governo Regional, sem comparticipação de fundos comunitários.

"Tivemos que reestruturar os próprios projetos para que o montante de investimento ficasse aceitável num enquadramento de viabilidade económica futura, porque o objetivo efetivamente é haver uma entidade acreditada que faça a exploração destas infraestruturas", disse o autarca.

Segundo Roberto Monteiro, inicialmente a autarquia procurou encontrar parceiros para este projeto entre as agências funerárias locais, que não se mostraram interessadas.

"Um processo destes só poderia ser feito havendo a garantia absoluta de empresas acreditadas para concorrerem no âmbito do processo de concessão", salientou, acrescentando que existem atualmente duas empresas fora da ilha interessadas em concorrer.

De acordo com fonte da Câmara de Angra do Heroísmo, também na ilha Terceira, foi atribuída recentemente uma licença a um privado local para a construção de um crematório no concelho.

O concurso público para a construção do edifício em Santa Cruz, que integra a capela mortuária e o crematório, deverá ser lançado em fevereiro e a obra deverá arrancar em março.

Em abril, prevê-se que seja lançado o concurso público para o fornecimento dos equipamentos do crematório e para a concessão da sua exploração, estando previsto que estes serviços, atualmente disponíveis apenas na ilha de São Miguel, sejam prestados até ao final de 2016 na Terceira.

O fornecimento do equipamento do crematório, orçado em 170 mil euros, será da responsabilidade do concessionário.

Roberto Monteiro justificou o investimento público nesta infraestrutura com a falta de espaço do cemitério da Praia da Vitória que, na última década, foi ampliado três vezes, e com a inexistência de um serviço destes na ilha Terceira.

Apesar de admitir que culturalmente não há o hábito de recorrer à cremação na Terceira, o autarca frisou que nos últimos anos tem havido uma maior procura por este serviço, com o envio de corpos para o continente português, acrescentando que vai ao encontro aos hábitos das novas gerações.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.