Satélite da ESA vai aumentar para seis dias as previsões meteorológicas


 

Lusa/AO Online   Internacional   7 de Set de 2016, 19:36

A Agência Espacial Europeia (ESA) assinou hoje com a Arianespace um contrato para o lançamento, em novembro do próximo ano, do seu satélite ADM-Aeolus, que fará aumentar de cinco para seis dias as previsões meteorológicas com grande precisão.

A principal inovação do ADM-Aeolus é um instrumento batizado como Aladin (Atmospheric Laser Doppler Instrument), que dispõe de um laser que permite medir “o perfil do vento”, explicou uma porta-voz da ESA, citada pela Efe, a agência de notícias espanhola.

Graças aos sinais do complexo laser com que irá equipado (que recolherão os impulsos refletidos pelos aerossóis e nuvens e pelos reflexos moleculares), o satélite reconstituirá imagens em três dimensões dos campos de ventos.

Tal contribuirá para tornar mais precisas as previsões meteorológicas à escala global e, sobretudo, aumentará o período dessas previsões de cinco para seis dias, um avanço que no passado se considerava que seria o resultado de entre seis e oito anos de trabalho.

O ADM-Aeolus, que pesará cerca de 1.400 quilos na descolagem, será posto numa órbita heliossíncrona a 320 quilómetros de altitude por um foguetão Veja operado pelo consórcio europeu Arianespace, que será lançado da base de Kuru, na Guiana Francesa.

Fabricado pelo grupo Airbus, o novo satélite é composto por três módulos: o Aladin, a plataforma baseada na utilizada para o Mars Express e o painel solar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.