SATA Air Açores realizou quase 119 mil encaminhamentos de passageiros em 2016

SATA Air Açores realizou quase 119 mil encaminhamentos de passageiros em 2016

 

Lusa/AO Online   Regional   24 de Abr de 2017, 17:03

A companhia aérea SATA Air Açores realizou no ano passado quase 119 mil encaminhamentos de passageiros, no âmbito do novo modelo de acessibilidades, a maioria entre a rota Ponta Delgada e Terceira.

 

Entre abril e dezembro de 2015 foram registados 78.743 encaminhamentos, enquanto em 2016 (janeiro a dezembro) houve 118.896, adianta o Governo Regional socialista numa resposta a um requerimento do PPM hoje enviada ao parlamento.

Desde 29 de março de 2015, as ligações entre duas ilhas dos Açores (São Miguel e Terceira) e o continente passaram a ser liberalizadas, o que levou à entrada das companhias ‘low cost’ na região.

Também nesta altura foi celebrado um novo contrato com a transportadora pública que permite aos residentes terem acesso ao encaminhamento, a custo zero, no caso de viajarem numa companhia sem acordo com a SATA Air Açores, transportadora que faz as ligações entre as nove ilhas.

Também os não residentes têm direito ao encaminhamento quando o seu destino final não for a ilha em que aterram.

De acordo com os números agora disponibilizados pelo executivo, na rota Ponta Delgada/Terceira/Ponta Delgada, a mais concorrida de todas, houve um total de 21.204 encaminhamentos em 2015, ao passo que no ano seguinte esse número subiu para os 33.326.

Em contraponto, a rota Horta/Graciosa/Horta ficou a zero em 2015 e 2016 e a rota Pico/Corvo/Pico teve apenas um encaminhamento realizado em 2015 e nenhum no último ano.

“O encaminhamento de passageiros constitui uma obrigação prevista no Contrato de Concessão dos Serviços de Transporte Aéreo Regular no interior da Região Autónoma dos Açores, sendo a Sata Air Açores ressarcida na compensação financeira que é calculada com base no défice de exploração”, informa o Governo Regional, sem revelar os custos associados aos reencaminhamentos já efetuados.

No que diz respeito aos encaminhamentos para a mais pequena ilha do arquipélago, o Corvo, o PPM pergunta se o executivo pode ressarcir os passageiros das ‘low cost’ com destino à ilha, já que têm de suportar despesas acrescidas devido à necessidade de pernoitar em São Miguel ou Terceira.

“Não é possível prever apoios adicionais, designadamente destinados ao alojamento, para passageiros encaminhados, independentemente da ilha de destino”, esclarece o Governo Regional, salientando que “a política de encaminhamentos já diferencia positivamente a ilha do Corvo ao admitir um talão de voo adicional sempre que não haja ligação diária”.

O sistema de encaminhamento está limitado a dois talões de voo.

Quanto à possibilidade de aumento de número de lugares para os reencaminhamentos para o Corvo no verão oficial da agência internacional de aviação, a IATA (de abril a outubro), a Sata Air Açores considera que a oferta “está adequada à procura, sem prejuízo de poderem existir picos pontuais de procura para os quais aquela tem procurado responder com aumentos, igualmente pontuais, da oferta”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.