Santa Clara contrata colombiano de 17 anos em torneio de observação

Santa Clara contrata colombiano de 17 anos em torneio de observação

 

Lusa/Açoriano Oriental   Futebol   2 de Dez de 2016, 10:58

O Santa Clara contratou o extremo colombiano Ítalo, de 17 anos, num torneio de observação de talentos em Cali, disse o diretor desportivo do clube da II Liga de futebol, Diogo Boa Alma.

 

"Recrutámos um atleta colombiano nascido em 1999, que para a idade que tem, 17 anos, mostra condições fantásticas e um talento ímpar. Assim que consiga evoluir, enquadrado na nossa realidade e adaptado ao futebol europeu, penso que poderá ser um caso sério e dar retorno desportivo e financeiro ao Santa Clara no futuro", afirmou Diogo Boa Alma.

Segundo o diretor desportivo, Ítalo joga preferencialmente a extremo, em qualquer dos lados apesar de ser canhoto, e foi desejado por clubes europeus como Bayern de Munique ou PSV Eindhoven durante o 15.º Torneio Internacional Las Americas, em Cali, na Colômbia.

"O atleta foi observado por vários clubes europeus, todos o queriam e nós felizmente conseguimos antecipar-nos porque fechámos contratação logo no final do segundo dia de torneio. Não teria sido possível assegurá-lo se tivéssemos esperado mais ou se tivéssemos hesitado mas felizmente conseguimos assegurá-lo e vai ser jogador do Santa Clara", disse.

Diogo Boa Alma disse que o jovem jogador passou por pequenos clubes como Cerrito e que integrava até então a academia de futebol Andre Sanin, devendo viajar para os Açores dentro de dois ou três meses para vestir a camisola do Santa Clara.

O dirigente acrescentou que o clube teve oportunidade de estabelecer contactos com grandes agências internacionais de jogadores e com responsáveis de grandes clubes europeus, nomeadamente Milan, Juventus, Anderlecht, Bayern e PSV e estar atento ao mercado colombiano, "que é um mercado alternativo, mais barato que o brasileiro ou argentino (...), é um futebol emergente de que estão a surgir sempre grandes jogadores para o futebol europeu".

Diogo Boa Alma recordou que o clube projeta "a internacionalização da marca Santa Clara e da marca Açores" no sentido de "potenciar e valorizar jovens atletas de mercados secundários e poder transacioná-los no final da época", como aconteceu com a venda do atleta líbio Hamdou ao Benfica e que rendeu 100 mil euros ao clube açoriano.

O acidente aéreo na Colômbia que vitimou quase toda a equipa brasileira da Chapecoense está a marcar o encontro e em todos os jogos do torneio tem sido cumprido um minuto de silêncio para homenagear as vítimas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.