Rússia pede à NATO para deixar de especular com a sua política nuclear


 

Lusa/AO online   Internacional   25 de Mar de 2015, 17:50

A Rússia exortou a NATO a terminar com as especulações em torno da questão do armamento nuclear e ainda abandonar os planos para a instalação de um sistema de escudo antimísseis na Europa, que, considerou, terá "consequências".

 

“Na nossa opinião, os Estados Unidos e outros países na NATO devem recusar a adoção de medidas unilaterais destrutivas no âmbito do escudo antimísseis. Assim, não terão de preocupar-se com as suas consequências”, disse o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Alexandr Lukashevich, citado pela agência Interfax.

O porta-voz recordou que “segundo a doutrina militar russa, a Rússia reserva-se no direito de utilizar armas nucleares em resposta a um ataque com armas atómicas ou outras armas de destruição em massa contra o país ou seus aliados, ou em caso de uma agressão contra a Rússia que coloque em perigo a sobrevivência do Estado”.

Lukashevich reiterou que o escudo antimísseis que os Estados Unidos e a NATO pretendem instalar no leste da Europa “pode implicar uma ameaça às forças nucleares de contenção russas, o que implicará a rutura da paridade e obrigará a tomar medidas para restituir o equilíbrio”.

“No entanto, não foram escutados os nossos argumentos contra este sistema desestabilizador, enquanto as tentativas de organizar uma cooperação paritária no âmbito da defesa antimísseis também se deparou com a incompreensão”, concluiu o porta-voz da diplomacia do Kremlin.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.