Rússia diz ter matado líder do grupo extremista Estado Islâmico


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   16 de Jun de 2017, 11:44

A Rússia disse ter matado o líder do Estado Islâmico (EI), Abu Bakr al-Baghdadi, num ataque aéreo a um local onde estavam reunidos líderes do grupo extremista, em Raqqa, na Síria.

 

Segundo o Ministério da Defesa russo, o líder do EI foi morto no final de maio juntamente com outros altos dirigentes do grupo.

Se se confirmar esta morte, será um grande sucesso para a Rússia, que lidera uma ação militar em apoio ao Presidente sírio, Bashar al-Assad, desde setembro de 2015.

O ministério referiu que o ataque aéreo se realizou a 28 de maio, teve como alvo o local onde decorria uma reunião do EI, nos arredores de Raqqa, na Síria, e terá provocado a morte a 30 responsáveis do grupo e a outros 300 combatentes.

“De acordo com a informação, que está a ser verificada através de vários canais, o líder do EI Abu Bakr al-Baghdadi também estava nessa reunião e foi morto no ataque aéreo”, acrescentou o ministério russo.

A mesma fonte referiu que avisou os Estados Unidos do ataque, acrescentando que entre os líderes do EI estavam Abi al-Khadji al-Mysri, Ibrahim al-Naef al-Khadj e Suleiman al-Shauah.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.