Roteiro quer dar a conhecer importância da família Dabney para a Horta

Roteiro quer dar a conhecer importância da família Dabney para a Horta

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Jul de 2017, 11:29

Um roteiro para dar a conhecer a importância que a família Dabney teve para o desenvolvimento da Horta e ilha do Faial, nos Açores, é lançado na segunda-feira, disse hoje o diretor regional do Ambiente, Hernâni Jorge

“Na segunda-feira vamos colocar a primeira placa e apresentar o desdobrável que sustenta e identifica todo o roteiro da família Dabney, que é composto por dez pontos com outras tantas placas, nos espaços e nos edifícios que constam do mesmo, e que dão nota daquilo que são os principais espaços da cidade ligados a esta família que teve uma importância relevantíssima naquilo que foi o desenvolvimento da ilha e a construção da cidade da Horta”, afirmou Hernâni Jorge.

Em declarações à agência Lusa, o responsável explicou que a iniciativa “resulta do desafio” lançado “por elementos da família que, no ano passado, em visita à ilha do Faial e à casa dos Dabney, satisfeitos e até surpreendidos com a recuperação que tinha sido feita do património” propuseram e apoiaram o desenvolvimento de uma ideia que resultou na criação do roteiro.

Hernâni Jorge referiu que o roteiro contempla “as casas de morada da família, The Cedars House, a residência oficial da presidente da Assembleia Legislativa, os estabelecimentos comerciais da família, as fábricas da baleia que foram propriedade da família e um conjunto de outros espaços da cidade relacionados com aquilo que foi a família e a sua atividade social e comercial na Horta”.

O diretor regional do Ambiente realçou o “impacto social, mas sobretudo” a dimensão económica dos negócios nas mais variadas áreas, do comércio às armações baleeiras e fábricas de transformação da baleia.

A família Dabney, oriunda de Rhode Island, chegou ao Faial em 1804, quando John Bass Dabney foi nomeado cônsul-geral dos Estados Unidos da América no Faial pelo presidente Thomas Jefferson.

Segundo uma nota de imprensa do executivo regional, a família, que “viveu ao longo de três gerações na cidade da Horta, contribuiu indubitavelmente para o desenvolvimento económico e social do Faial e dos Açores durante 86 anos”.

Também na segunda-feira, o “Dabney Day”, decorre uma reconstituição histórica das vivências de jardim da família nos jardins da Cedars House, abertos ao público entre as 19:00 e as 21:00 locais (mais uma hora em Lisboa), informou a Assembleia Legislativa Regional.

A iniciativa integra o projeto “Parlamento Presente”, que visa “a aproximação do parlamento aos cidadãos, bem como destes ao parlamento”.

Este espaço é “uma das principais referências arquitetónicas da ilha” e foi erguido em 1851 por John Pomeroy Dabney, filho do segundo cônsul dos Estados Unidos nos Açores, Charles William Dabney.

A família, que gerou quatro cônsules norte-americanos, transformou a ilha em entreposto comercial quando, no século XIX, foram interrompidas as relações comerciais entre os EUA e a Inglaterra.

Esteve também ligada à atividade da baleação nos Açores, introduzindo no arquipélago algumas das tradições dos baleeiros da Nova Inglaterra.

A divulgação da história da família inclui outras ações, como o lançamento de um álbum fotográfico, além de um teatro itinerante para os alunos do 1.º ciclo do ensino básico.

O projeto é uma parceria de várias entidades detentoras e proprietárias do legado da família Dabney.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.