Reunião de câmara de Ponta Delgada marcada por acusações devido a festas

Reunião de câmara de Ponta Delgada marcada por acusações devido a festas

 

Lusa/AO online   Regional   20 de Jul de 2016, 17:20

As festas do Espírito Santo, que decorreram este mês em Ponta Delgada, nos Açores, geraram uma troca de acusações entre o presidente da Câmara, o social-democrata José Manuel Bolieiro, e a oposição socialista.

 

Durante a reunião do executivo municipal, José Manuel Bolieiro acusou a oposição de ser contra a organização da festa do Espírito Santo, que já vai na 13.ª edição, alegando que nunca viu os socialistas "motivados com a organização" desta tradição cultural e religiosa.

"O PS é sempre contra a organização das festas", considerou o autarca.

A vereadora socialista Sónia Nicolau contrapôs que "o PS não é contra as festas do Espírito Santo", apenas critica a adulteração que estas sofreram em Ponta Delgada, pois nas freguesias "os mordomos são pessoas que se voluntariam ou são escolhidas e na cidade o mordomo é sempre o presidente da Câmara".

Na reunião, o presidente da Câmara considerou que a edição de 2016 das festas do Espírito Santo foi um "sucesso" e que houve "ganhos positivos" com as alterações feitas em termos organizacionais, apontando o exemplo do novo método de distribuição das 13 mil sopas.

Questionado sobre o custo financeiro das festas pela oposição, José Manuel Bolieiro prometeu que o mesmo iria ser apurado e revelado, embora tenha sublinhado que "parte significativa destas festas faz-se com a generosidade e voluntarismo de centenas de pessoas e empresas", pelo que "alguns custos não são mensuráveis".

As festas decorreram de 07 a 10 de julho e juntaram milhares de pessoas num evento "religioso, cultural e identitário do povo açoriano" que é um cartaz turístico da cidade e reúne as 24 freguesias do concelho.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.