Residências assistidas para doentes mentais


 

Lusa/AO On line   Nacional   10 de Out de 2010, 08:42

Os aspetos de saúde mental associados às doenças crónicas físicas foram o tema escolhido este ano para ser debatido no Dia Mundial da Saúde Mental, que hoje se assinala.
 

“É um tema que tem sido bastante ignorado, mas que é importante”, disse à agência Lusa o coordenador nacional da Saúde Mental, José Caldas de Almeida.

O coordenador nacional lembrou que “toda a investigação que tem sido feita nos últimos anos mostra que algumas doenças crónicas, não da área da psiquiatria, como a diabetes ou a doença coronária, têm associações importantes com doenças psiquiátricas, em particular a depressão, e com aspetos da saúde mental”.

“Sabe-se também que se houver uma intervenção bem feita nestas situações pode evitar-se muitos problemas destas situações físicas”, referiu.

Segundo José Caldas de Almeida, “pode até, eventualmente, diminuir-se de uma forma significativa a mortalidade associada a estas doenças”.

Apesar de este ser o tema escolhido pela Federação Mundial para a Saúde Mental, o coordenador nacional considera que “em Portugal vai falar-se muito do que está mais na ordem do dia, os desenvolvimentos muito recentes no sentido de finalmente começar a funcionar a criação de redes de cuidados continuados de saúde mental”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima em 450 milhões o número de pessoas que sofre de algum distúrbio mental em todo o mundo. Daquelas, menos da metade recebe tratamento. Os preconceitos e estigmas associados à doença mental podem ser a causa do subdiagnóstico deste tipo de doenças, que leva ao reduzido acesso aos cuidados de saúde e tratamentos nesta área.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.