Relação do Porto confirma condenação de Armando Vara a 5 anos de prisão

Relação do Porto confirma condenação de Armando Vara a 5 anos de prisão

 

Lusa/Açoriano Oriental   Nacional   5 de Abr de 2017, 18:46

O Tribunal da Relação do Porto confirmou a condenação de Armando Vara por tráfico de influência, mantendo a pena de cinco anos de prisão efetiva.

A Relação negou provimento ao recurso apresentado pela defesa do antigo ministro e ex-administrador do BCP, mantendo integralmente o acórdão do Tribunal de Aveiro que, em setembro de 2014, o condenou por três crimes de tráfico de influência.

O advogado de Armando Vara, Tiago Rodrigues Bastos, diz-se "surpreendido e desiludido", não estando "minimamente" à espera desta decisão, sublinhando que irá recorrer para o Tribunal Constitucional.

O processo "Face Oculta", que começou a ser julgado há cinco anos no Tribunal de Aveiro, está relacionado com uma alegada rede de corrupção que teria como objetivo o favorecimento do grupo empresarial do sucateiro Manuel Godinho nos negócios com empresas do setor do Estado e privadas.

Na primeira instância, dos 36 arguidos, 34 pessoas singulares e duas empresas, 11 foram condenados a penas de prisão efetiva, entre os quais se incluem Armando Vara e José Penedos.

Os restantes receberam penas suspensas, condicionadas ao pagamento de quantias entre os três e os 25 mil euros a instituições de solidariedade social.

A pena mais gravosa (17 anos e meio de prisão, em cúmulo jurídico) foi aplicada a Manuel Godinho, que foi condenado por 49 crimes de associação criminosa, corrupção, tráfico de influência, furto qualificado, burla, falsificação e perturbação de arrematação pública, resultando em 87 anos e 10 meses a soma das penas parcelares.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.