Região cria equipa experimental de mediadores escolares para combater insucesso

Região cria equipa experimental de mediadores escolares para combater insucesso

 

Lusa/AO online   Regional   18 de Ago de 2014, 15:38

Os Açores criaram um equipa experimental de oito mediadores escolares que aplicarão no próximo ano letivo em escolas da região uma metodologia de combate ao insucesso escolar que, no continente, já acompanhou mais de 13 mil alunos desde 2007.

O programa "mediadores para o sucesso escolar" foi criado e desenvolvido pela Associação EPIS - Empresários Pela Inclusão Social em 2007 e vai chegar em setembro a oito escolas das ilhas de São Miguel e Terceira, segundo um despacho da Secretaria Regional da Educação e Cultura dos Açores, publicado hoje no Jornal Oficial da região.

O despacho, assinado pelo secretário regional Avelino Menezes, sublinha que "com o alargamento da escolaridade obrigatória, torna-se imperioso combater o insucesso escolar" e explica que esta metodologia será aplicada, de forma experimental, no próximo ano letivo, a alunos do 3.º ciclo do ensino básico.

A 17 de junho, a EPIS debateu na sala do senado da Assembleia da República os resultados dos “mediadores para o sucesso escolar”, revelando nesse dia que, desde que foi iniciado, o programa acompanhou mais de 13 mil alunos e contribuiu para “o sucesso escolar de mais de 1.700 novos bons alunos em 60 municípios portugueses”.

Segundo a associação, o “mediadores para o sucesso escolar” é o “maior programa privado” de combate ao abandono e insucesso escolar em Portugal, focado na capacitação das competências não cognitivas das crianças e jovens entre os seis e os 24 anos.

A EPIS já tinha anunciado nesse dia estar a preparar “o maior alargamento" do seu programa contra o insucesso escolar em 2014/15, incluindo novas escolas do Ministério da Educação e Ciência, novos centros do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e novas autarquias.

Pela primeira vez, o programa vai chegar aos Açores e à Madeira e a rede de mediadores quase duplicará, passando de 84 para cerca de 150 em 2014/15.

No ano letivo 2013/2014, o programa fez com que mais de 200 alunos melhorassem as suas notas e deixassem de estar em risco de chumbar, segundo os últimos dados da associação.

Este ano, os mediadores ajudaram 1.730 alunos de escolas situadas em 19 concelhos e, no final do segundo período, o número de estudantes com mais do que duas negativas diminuiu 12,1 pontos percentuais.

A EPIS estima que estejam a ser apoiados neste momento “menos de cinco por cento dos que precisariam”.

Os Açores são a região do país com as piores taxas de insucesso escolar.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.