Rede Globo completa 45 anos com críticas de apoio ao pré-candidato José Serra


 

Lusa / AO online   Economia   25 de Abr de 2010, 13:31

A Rede Globo de Televisão, a maior emissora da América Latina, completa segunda feira 45 anos mas teve que suspender a veiculação de sua campanha comemorativa por denúncias de apoio ao pré-candidato às presidenciais José Serra, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Após uma onda de denúncias e protestos que se espalharam pela internet através de blogues e redes sociais, o jingle de 30 segundos, lançado no último dia 18, teve que ser retirado do ar por apresentar uma suposta mensagem favorável ao candidato "tucano" José Serra.

No anúncio institucional de aniversário da emissora criada em 1965, aparecem atores, jornalistas e apresentadores que trabalham na TV Globo e, mm determinado trecho, os atores dizem: "Todos queremos mais. Educação, saúde e claro, amor e paz. Brasil, Muito mais."

Oito dias depois de Serra lançar sua candidatura à Presidência com o lema "O Brasil pode mais", Marcelo Branco, um dos coordenadores da campanha presidencial de Dilma Russeff, do Partido dos Trabalhadores (PT), referiu que o anúncio da Globo era uma propaganda "disfarçada" para o grande adversário do seu partido.

Em resposta, a emissora afirmou que o filme foi criado em novembro de 2009 quando "não existiam nem candidaturas muito menos slogans", mas a Globo não conseguiu evitar uma chuva de protestos na internet e, logo no dia seguinte ao lançamento do spot, teve de o retirar,

O aniversário de 45 anos da TV Globo não é menos polémico do que o ano de sua criação, 1965, em pleno período da ditadura militar no Brasil.

Fundada a 26 de abril de 1965 pelo jornalista Roberto Marinho, a emissora foi montada com seis milhões de dólares a partir de contratos com o grupo Time-Life, um escândalo na época pois era um caso de um sócio brasileiro que se associava a uma empresa estrangeira, contra o que previa a legislação brasileira.

Atualmente, a Rede Globo é a maior de toda a América Latina e a terceira maior emissora comercial do mundo (sem incluir estatais ou redes de TV públicas). Vista por 120 milhões de pessoas diariamente, perde apenas para as americanas CBS e NBC.

A sua sede administrativa localiza-se no Rio de Janeiro onde também ficam seus principais estúdios de produção no complexo conhecido como Projac, em Jacarepaguá, o maior centro de produção audiovisual da América Latina e um dos maiores do mundo.

O Projac ocupa uma área de 1,65 milhão de metros quadrados e é lá que estão as três cidades cenográficas, onde são gravadas as telenovelas e programas de entretenimento da Rede Globo.

A televisão alcança 99,5 por cento dos telespectadores potenciais, "praticamente toda a população brasileira" com 122 emissoras, 117 delas afiliadas, que levam a programação a 98,44 por cento dos municípios e a mais de 183 milhões de brasileiros.

São 28 grupos de comunicação e 9.600 profissionais, 3.000 dos quais jornalistas distribuídos em cerca de 650 equipas de reportagem nas emissoras. A maior produção é a jornalística, com 62 mil horas por ano (mais de 5.000 horas por mês).

Desde 1999, a TV Globo Internacional começou a veicular a programação no exterior, foi o primeiro canal brasileiro a ser transmitido via satélite, cabo e IPTV, com qualidade digital, voltado para os brasileiros e lusófonos fora do país. Hoje, distribui programas para mais de 130 países.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.