Recuperação dos caminhos danificados pelo mau tempo em São Jorge e no Pico vai custar 460 mil euros

Recuperação dos caminhos danificados pelo mau tempo em São Jorge e no Pico vai custar 460 mil euros

 

Lusa/AO online   Regional   6 de Dez de 2012, 11:57

A recuperação dos estragos provocados pelo mau tempo nos caminhos rurais das ilhas São Jorge e do Pico deverá custar 460 mil euros, revelou hoje a diretora regional dos Recursos Florestais, Anabela Isidoro.

Em declarações, no final de uma visita de dois dias às ilhas afetadas pelas intempéries que se abateram sobre os Açores no final de outubro, Anabela Isidoro disse que o levantamento dos custos ainda está a ser feito, mas as estimativas apontam para cerca de meio milhão de euros.

"Embora não possa avançar um número exato, até porque os trabalhos são feitos por administração direta, estimamos que os prejuízos, nas duas ilhas, rondem os 460 mil euros", afirmou a diretora dos Recursos Florestais.

Segundo explicou a responsável, nas duas ilhas a força das águas destruiu 16 km de estradas rurais em macadame (terra batida) e 13,5 km de estradas em asfalto, que foram recuperadas provisoriamente, numa primeira fase, para permitir a acessibilidades às explorações agrícolas.

"A nossa prioridade, na primeira hora, foi repor as acessibilidades, para que os agricultores pudessem aceder às suas explorações", recordou Anabela Isidoro, adiantando que as máquinas e o pessoal afeto à Secretaria Regional dos Recursos Naturais prestaram também, numa fase inicial, apoio à Proteção Civil.

Recorde-se que as fortes chuvadas registadas nos meses de outubro destruíram caminhos agrícolas e municipais, arrastaram grandes quantidades de terra e de detritos, provocaram dezenas de inundações em moradias e isolaram, provisoriamente, algumas localidades.

O Governo vai agora prosseguir o trabalho de recuperação das estradas danificadas, num trabalho mais prolongado no tempo, que inclui a repavimentação definitivas das vias afetadas e a construção de aquedutos e de pontes.

Entretanto, o presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, já assumiu o compromisso analisar o memorando dos estragos provocados pelo mau tempo na ilha de São Jorge, quer em habitações particulares, quer na rede viária municipal.

"Para além do trabalho desenvolvido de imediato pelos serviços de Ação Social, foi agora recebido um memorando que será analisado pelo Governo e será, então, tomada uma decisão sobre o montante de apoio e as condições em que será disponibilizado", explicou Vasco Cordeiro, no final de uma reunião com o presidente da Câmara da Calheta de São Jorge, Aires Reis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.