Receitas da Meo/Altice Portugal recuam 1% em 2017 para 2.164 milhões de euros

Receitas da Meo/Altice Portugal recuam 1% em 2017 para 2.164 milhões de euros

 

Lusa/AO online   Nacional   16 de Mar de 2018, 14:45

As receitas da Meo/Altice Portugal recuaram 1% no ano passado, face a 2016, para 2.164 milhões de euros, e no quarto trimestre diminuíram 1,8%, para 536 milhões de euros, anunciou esta sexta-feira o grupo Altice.

No mesmo período, o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) ajustado recuou 6%, para 1.007 mihões de euros.

Estes dados incluem serviços de suporte e excluem o negócio grossista de voz internacional.

No ano passado, o investimento (CAPEX) cresceu 3,9%, face a 2016, para 458,2 milhões de euros.

As receitas da Meo no quarto trimestre recuaram 1,8% em termos homólogos, para 536 milhões de euros, "no novo perímetro incluindo suporte de serviços e excluindo o negócio de voz internacional grossista que está a ser vendido".

No último trimestre do ano, o EBITDA ajustado da Altice Portugal recuou 6,7%, para 245 milhões de euros, com a redução de margem de 2,4 pontos percentuais para 45,8%, reflexo da perda da margem quer no segmento consumo, quer no segmento empresarial, como consequência do forte ambiente competitivo.No qua

No quarto trimestre, as receitas fixas no segmento B2C recuaram 6,4%, para 158 milhões de euros, "devido a anteriores perdas de clientes fixos (-2,8% em termos anuais) e a uma diminuição do ARPU [receita média por cliente] total fixo (-3,8%), no seguimento de decisões regulatórias durante o terceiro trimestre de 2017", de acordo com a Altice Portugal.

A receita do segmento empresarial (B2B) "tem vindo a aumentar consecutivamente a cada trimestre, desde que o grupo Altice assumiu a gestão da Altice Portugal", refere a operadora de telecomunicações.

O negócio do segmento fixo B2B cresceu 0,1% no último trimestre do ano passado, para 101 milhões de euros, e o móvel B2B avançou 1,9%, para 52 milhões de euros.

De acordo com a Altice Portugal, "este aumento de receita no quarto trimestre de 2017 é o primeiro em muitos anos, sendo esta evolução positiva resultante de uma estratégia de foco na retenção dos clientes empresariais, crescimento no segmento PME [pequenas e médias empresas]", bem como receitas de serviços de armazenamento de dados 'cloud' e de tecnologias.

As outras receitas subiram 36,2% sustantadas no desempenho da Altice Labs.

No último trimestre, o crescimento da fibra acelerou, atingindo adições líquidas de clientes de 142 mil no ano (incluindo migrações de tecnologia), cerca do dobro de 2016.

Segundo a Altice, tal atingiu "um recorde de 43 mil novos clientes de fibra no quarto trimestre", contra 29 mil no período homólogo de 2016.

"A aceleração no crescimento da fibra permitiu que o parque de clientes do negócio fixo crescesse no quarto trimestre 6.000 adições líquidas, representando o melhor desempenho nos últimos cinco anos", acrescenta.

No que respeita aos clientes móvel pós-pago B2C, "voltou a melhorar no quarto trimestre de 2017, com adições líquidas de 33 mil clientes (contra 12 mil perdas no quarto trimestre de 2016), devido ao investimento da Altice Portugal em rede e ao contínuo sucesso da estratégia de convergência".

No segmento empresarial, a base de clientes móveis evoluiu 2% em termos anuais, com adições líquidas de 13 mil clientes no quarto trimestre, apesar da maior concorrência.

A rede da Altice Portugal atinge mais de quatro milhões de casas passadas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.