'Raio x' já funciona na aerogare do Corvo, mas bagagem de cabine continua a ser rastreada


 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Fev de 2017, 10:08

O equipamento de 'raio x' já está a funcionar na aerogare do Corvo, Açores, mas a bagagem de cabine dos passageiros continua a ser rastreada pela PSP por falta de um equipamento para detetar explosivos, foi hoje anunciado.

 

“O equipamento de ‘raio x’ instalado na aerogare da ilha do Corvo está a funcionar em pleno, toda a bagagem de cabine, porão, correios e carga está a ser rastreada neste equipamento”, disse à agência Lusa o diretor-geral da empresa SATA Gestão de Aeródromos, do grupo empresarial açoriano SATA.

Segundo Ricardo Ferraz de Carvalho, “dado que o equipamento de deteção de vestígios de explosivos só será instalado no final deste mês ou na primeira semana de março, a Autoridade Nacional de Aviação Civil impôs um rastreio adicional à bagagem de cabine”.

“Esse rastreio adicional obriga à revista manual de toda a bagagem de cabine, independentemente de já ter sido rastreada no equipamento de ‘raio x’”, adiantou Ricardo Ferraz de Carvalho.

O responsável explicou que, “desde 01 de fevereiro, entraram em vigor novas normas na União Europeia que obrigam à utilização do equipamento de deteção de explosivos em todos os aeródromos”.

“Este procedimento de aquisição [para deteção de explosivos] é um investimento de cerca de 140 mil euros que não está disponível no mercado nacional”, referiu Ricardo Ferraz de Carvalho, salientando que o equipamento “foi adquirido atempadamente, mas como vem de Inglaterra, onde existe um conjunto de regras de segurança que têm de ser cumpridas, há um atraso na entrega”.

Ricardo Ferraz de Carvalho acrescentou que o equipamento e instalação do ‘raio x’ no Corvo foi um investimento na ordem dos 65 mil euros.

“A SATA Gestão de Aeródromos tem estado a investir de forma significativa nos aeródromos que tem sob a sua responsabilidade para melhorar as condições de segurança, tanto no âmbito da segurança contra atos ilícitos como na segurança operacional”, referiu o responsável, acrescentando que estão “em curso cerca de uma dezena e meia de procedimentos concursais para melhorar as condições dos aeródromos de Corvo, Graciosa, São Jorge e Pico”.

Fonte oficial da PSP informou à Lusa que dadas as “imposições de segurança para aeroportos, e na falta do equipamento referido, terá que se manter o controlo visual da bagagem dos passageiros” até à situação ser ultrapassada.

“Apesar de o equipamento ‘raio x’ estar a funcionar em pleno, dadas as regras internacionais, manter-se-ão controlos periódicos”, esclareceu a fonte oficial da PSP.

Vários partidos com assento no parlamento dos Açores alertaram por diversas vezes para as implicações da ausência de equipamento de ‘raio x’ na aerogare do Corvo, nomeadamente o Partido Popular Monárquico, cujo deputado único, Paulo Estêvão, foi eleito por esta ilha.

Em causa alegaram estar a devassa da privacidade dos passageiros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.