Quercus diz que a ilha Terceira não atingirá metas de reciclagem em 2020

Quercus diz que a ilha Terceira não atingirá metas de reciclagem em 2020

 

Lusa/AO online   Regional   8 de Mar de 2016, 17:17

A Quercus avançou que a taxa de reciclagem na ilha Terceira estagnou em 2015 e não vai atingir a meta definida para 2020, mas a administração da Teramb alegou que vai duplicar a reciclagem em 2016.

 

"Exige-se uma atuação por parte do Governo Regional dos Açores no sentido de suspender o funcionamento da central de incineração até à Teramb [Empresa Municipal de Gestão e Valorização Ambiental da Ilha Terceira] apresentar resultados na reciclagem que deem garantias de que irá cumprir os requisitos da sua licença para incinerar resíduos urbanos", salientou a Quercus, num comunicado de imprensa, acrescentando que já deu conhecimento desta situação à Comissão Europeia.

De acordo com a associação de conservação da natureza, os números da Sociedade Ponto Verde para 2015 comprovam que a ilha Terceira está a reciclar apenas 26% dos resíduos recicláveis, tendo havido um crescimento de 2.673 para 2.772 toneladas, entre 2014 e 2015.

Para a Quercus, a ilha Terceira "nunca irá atingir as metas de reciclagem para 2020", ou seja 50% dos materiais recicláveis, porque a Teramb optou por um sistema de incineração, sem o conjugar com um processo de tratamento mecânico.

A associação alegou que, nos Açores, as ilhas que possuem sistema de tratamento mecânico e biológico atingiram valores de reciclagem "na ordem dos 90%".

Contactado pela Lusa, o administrador da Teramb, Paulo Monjardino, admitiu que até 2020 "há muito trabalho a concretizar", mas disse que, este ano, a Terceira deverá reciclar e reutilizar mais 4.200 toneladas de resíduos, atingindo cerca de 7.000 toneladas recicladas.

Segundo Paulo Monjardino, o sistema de tratamento mecânico e biológico, defendido pela Quercus, é "caríssimo e tem um aproveitamento entre 4 a 7%".

Quanto à estagnação das toneladas recicladas, o administrador disse que houve uma redução de todos os resíduos, não apenas dos reciclados, alegando que a Teramb recebeu menos 15% de resíduos indiferenciados, entre 2011 e 2014.

Por outro lado, Paulo Monjardino considerou que "não é credível" que algumas ilhas tenham 90% de reciclagem, duvidando da forma como é calculada a taxa de reciclagem.

O administrador da Teramb acrescentou que atualmente a incineradora da ilha Terceira queima 120 toneladas de resíduos por dia, provenientes da recolha de material indiferenciado, da trituração de objetos volumosos e da limpeza de bolsas do aterro intermunicipal.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.