PSP prende todos os dias condutores com excesso de álcool

PSP prende todos os dias condutores com excesso de álcool

 

Lusa / AO Online   Regional   28 de Fev de 2010, 10:21

Os condutores açorianos estão a mudar comportamentos, o que se traduz numa tendência decrescente dos casos de excesso de álcool ao volante, mas a PSP continua a deter todos os dias pessoas que não deviam estar ao volante.

“Praticamente todos os dias há detenções de condutores sob influência de álcool”, disse Ruben Medeiros, chefe da Área Operacional do Comando Regional da PSP/Açores, em declarações à Lusa.

O responsável policial frisou, no entanto, que “os números (das detenções por excesso de álcool) têm vindo constantemente a decrescer”.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas pelos condutores açorianos também é uma preocupação para os responsáveis governamentais, tendo Rui Santos, da Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, salientado que se trata de um problema de “falta de consciencialização”.

Apesar disso, Rui Santos também admitiu à Lusa que os automobilistas “estão a adotar outros comportamentos”, frisando os crescentes casos em que “pedem boleia a colegas ou evitam beber em festas quando levam o carro”.

As estatísticas oficiais referem que, entre 2006 e 2008, a PSP/Açores registou 2048 crimes por condução sob influência de álcool, ou seja, com taxas superiores a 1,20 gramas por litro.

A situação tem, no entanto, melhorado, já que os 768 crimes ocorridos em 2006, baixaram para 667 em 2007 e para 613 em 2008.

Os dados relativos a 2009 ainda não são públicos, mas Ruben Medeiros adiantou que se mantém a “tendência decrescente”, frisando que “algo está a mudar na mentalidade dos condutores”.

As detenções por condução com excesso de álcool resultam de ações de fiscalização, mas também de acidentes de viação, quando os condutores intervenientes ‘sopram no balão’ e se descobre que têm uma taxa de alcoolemia superior a 1,20 gramas por litro.

Ruben Medeiros salientou, no entanto, que é notória uma mudança de comportamentos, que resulta, não só de uma maior fiscalização policial, mas também das campanhas de sensibilização.

“Os condutores estão cada vez mais conscientes de que conduzir com excesso de álcool no sangue é uma conduta socialmente reprovável e criminalmente punível”, afirmou.

Um exemplo disso ocorreu durante uma operação policial realizada no Carnaval, quando “inúmeros condutores pediram para serem submetidos ao teste de alcoolemia” à saída de festas, antes de se sentarem ao volante.

Este maior cuidado dos condutores foi também reconhecido por Rui Santos, responsável pela área dos transportes terrestres na Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, apesar de salientar que se trata de “hábitos e problemas geracionais que levam tempo a abandonar”.

Para ajudar a inverter este quadro, frisou que as campanhas de prevenção “são uma constante ao longo do ano”, não só nos meios de comunicação social, mas também na via pública.

No mesmo sentido, considerou que a “fiscalização ativa” realizada pela PSP é uma “importante via para consciencializar os condutores”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.