Política

PSD desafia Governo a explicar diligências tomadas para salvaguardar 11ME investidos no Hotel Casino

PSD desafia Governo a explicar diligências tomadas para salvaguardar 11ME investidos no Hotel Casino

 

  Regional   26 de Jul de 2012, 15:16

O PSD acusou o Governo Regional de negligência no processo de exploração do jogo de fortuna e azar nos Açores, desafiando-o a explicar as diligências tomadas para salvaguardar os 11 ME já investidos.

"O PSD desafia o Governo Regional a explicar aos açorianos como é que deixou chegar a este ponto um projeto que consumiu mais de 11 milhões de euros de dinheiros públicos", afirmou o deputado social democrata Jorge Macedo, referindo-se ao caso do Hotel Casino, em Ponta Delgada.

Sobre esta unidade hoteleira, localizado junto à marina de Ponta Delgada e cujas obras estão paradas há vários anos, recai uma penhora por dívidas ao fisco e à segurança social, tendo sido colocada à venda pelas Finanças por 665 mil euros.

Para Jorge Macedo tem havido "muita conversa, promessas e mais promessas e nenhuns resultados" e "depois de mais de 11 ME de dinheiros públicos investido o mais que o Governo Regional conseguiu foi criar três nódoas, duas no coração de Ponta Delgada (casino e centro comercial) e outra no ex-libris do turismo açoriano, a freguesia das Furnas".

"São retratos de uma política turística sem rumo nem norte", afirmou o deputado, alegando que "o silêncio (do governo) é ensurdecedor" e conta com "a cumplicidade silenciosa do candidato socialista Vasco Cordeiro, que durante quatro anos teve este dossier em cima da sua mesa de trabalho e foi totalmente incapaz de o solucionar".

A concessão e exploração do jogo de fortuna ou azar nos Açores foi atribuída em abril de 2003 pelo Governo Regional ao Grupo ASTA - Atlântica (formado inicialmente pelo Grupo Paim e Martins Mota) e implicava a instalação de um casino na ilha de S. Miguel no prazo de três anos, bem como a construção de um centro comercial na zona de Pêro de Teive, a beneficiação das termas das Furnas e construção de um hotel de pelo menos 100 camas.

O deputado do PSD, Jorge Medeiros recordou que ao longo dos anos o Governo Regional foi dizendo que "tudo estava bem encaminhado" e "tudo ia ser resolvido", mas até agora os empreendimentos ainda não entraram em funcionamento.

"O PSD ao longo deste processo chamou a atenção do Governo, que foi negando evidências e agora é evidente que perante a responsabilidade total do Governo cabe-lhe explicar como deixou o processo chegar a esse ponto", sustentou.

Alegando que "o processo nasceu torto", Jorge Macedo disse estranhar que só tenha aparecido um interessando aquando do lançamento do concurso público, recordando que no caso dos navios aconteceu o mesmo.

Segundo disse, até outubro o PSD é um partido da oposição a quem cabe fiscalizar a ação do Governo e a aplicação dos dinheiros públicos, embora adianta que os social democratas defendem a entrada em funcionamento do SPA Hotel nas Furnas e Hotel Casino em Ponta Delgada, uma vez que "o investimento está feito".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.