PSD/Açores diz que líder regional do PS engana população sobre ligações aéreas de baixo custo

PSD/Açores diz que líder regional do PS engana população sobre ligações aéreas de baixo custo

 

LUSA/AO online   Regional   25 de Ago de 2016, 15:16

O PSD/Açores acusou hoje o líder regional do PS, Vasco Cordeiro, de enganar a população sobre o processo que conduziu à entrada das companhias aéreas de baixo custo na região, rejeitando que aquele fique com os "louros" da medida

"Vasco Cordeiro insiste em enganar os açorianos sobre o processo que conduziu à abertura do espaço aéreo dos Açores e à entrada das companhias ‘low-cost’ (baixo custo) na região”, afirma uma nota da comissão política regional do PSD/Açores, considerando que não adianta ao dirigente socialista, também presidente do Governo Regional, de “querer ficar com os louros de uma medida a que sempre se opôs”.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou na quarta-feira, nos Açores, que a liberalização do espaço aéreo entre a ilha de São Miguel e o continente está a ter um “impacto extraordinário” e que “valeu a pena” ter convencido o Governo Regional.

“Nós demoramos um certo tempo a persuadir o Governo Regional de que isso era um modelo bom. Apesar disso, valeu a pena, até porque o executivo açoriano acabou por aceitar esse modelo que apresentámos”, disse o ex-primeiro-ministro Passos Coelho, acrescentando que, então, o Governo Regional socialista “estava mais fixado na ideia de que era preciso remunerar mais as obrigações de serviço público”, mas o Executivo nacional “não tinha mais dinheiro para gastar”.

No mesmo dia, o líder do PS/Açores acusou Pedro Passos Coelho de mentir sobre as negociações do novo modelo de transportes aéreos da região.

"Não é verdade que tenha sido o Governo da República do PSD a convencer o Governo Regional do PS do que quer que seja. Foi o Governo Regional do PS que tomou a iniciativa de propor uma alteração ao modelo de acessibilidades aéreas à nossa região. E também é verdade que essa proposta esteve parada três anos nas gavetas do Governo da República e que só quando o ministro deixou de ser do PSD é que o assunto evoluiu e se resolveu", frisou Vasco Cordeiro.

Na nota hoje divulgada, o PSD/Açores refere que as ‘low-cost’ chegaram a Portugal em 2006 e, “apesar de o país ter sido governado até 2011 pelo PS, a verdade é que estas companhias aéreas nunca chegaram aos Açores”.

“Se o PS e os governantes socialistas quisessem companhias ‘low-cost’ a voar para os Açores, elas poderiam ter chegado em 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 ou 2011. Só que isso nunca aconteceu. O PS, nos Açores e na República, tudo fez para proteger o monopólio da SATA e da TAP em prejuízo dos açorianos”, acusam os social-democratas.

No esclarecimento, o PSD/Açores sublinha que “sempre defendeu a abertura do espaço aéreo, que veio a concretizar-se no ano passado”, o que “só foi possível com o trabalho e a determinação de Duarte Freitas", líder regional do PSD, e com o apoio do então primeiro-ministro Passos Coelho.

“O PS nunca escondeu que sempre foi contra a liberalização do transporte aéreo entre os Açores e o continente. Ao longo dos anos foram várias as declarações de governantes do PS de frontal oposição à abertura do espaço aéreo”, adianta o PSD/Açores, considerando que “por vontade de Vasco Cordeiro os açorianos ainda estariam hoje a pagar 300 euros por uma passagem aérea”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.