PS promete mais rendimento do que PSD/CDS mas admite mais défice

PS promete mais rendimento do que PSD/CDS mas admite mais défice

 

  Economia   8 de Nov de 2015, 13:46

O PS promete mais salários e menos impostos do que PSD/CDS-PP, mas admite um défice de 2,8% em 2016, valor acima da estimativa do Governo, mas abaixo da barreira dos 3%.

A Comissão Nacional do PS aprovou a proposta de programa para um futuro executivo suportado também por Bloco de Esquerda (BE), PCP e PEV, um documento que mantém grande parte das medidas apresentadas pelos socialistas no seu programa eleitoral, mas se aproxima também de algumas das reivindicações dos partidos mais à esquerda. A proposta de programa de um executivo liderado por António Costa suportado por BE, PCP e PEV surge um dia depois de o executivo PSD/CDS-PP ter entregado à Assembleia da República o seu programa de governo, no qual apresentou várias medidas já previstas no programa eleitoral da coligação, mas deixando deixa cair outras e introduzindo novas numa tentativa de aproximação aos socialistas. Em comparação, o PS promete uma reposição dos salários da Função Pública durante 2016 e o fim da sobretaxa já em 2017 (cerca de dois anos mais rápido do que PSD/CDS-PP), a redução da TSU paga pelos trabalhadores com salários inferiores a 600 euros até 2018, o aumento do salário mínimo nacional até 2019 e o descongelamento das pensões. O PS admite que o défice orçamental represente 2,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016, acima do défice de 1,8% que o Governo estimou para o próximo ano no Programa de Estabilidade, apresentado em abril, mas ainda assim acima da barreira dos 3%.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.