PS e PSD com leituras diferentes sobre desemprego nos Açores


 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Nov de 2014, 13:29

O PS considerou hoje que a descida da taxa de desemprego nos Açores confirma que a região está no "bom caminho", mas o PSD fala em "fracasso", por o arquipélago manter a maior taxa do país.

Os números hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) referentes ao terceiro trimestre de 2104 indicam que o número de desempregados caiu em todas as regiões do país, à exceção do centro, face ao trimestre anterior, sendo que os Açores (15,7%), o Norte (14,3%) e Lisboa (14%) têm taxas de desemprego superiores à média nacional (13,1%).

Para dirigente do PS/Açores Francisco César, citado numa nota de imprensa do partido, os números do INE “vêm confirmar que a região se encontra no bom caminho”, destacando que a criação de emprego no região, nos últimos seis meses, atingiu níveis que não se verificavam desde o primeiro trimestre de 2009.

“Em termos práticos verificamos uma descida no número de desempregados face ao mesmo trimestre de 2013, registando-se menos 2.153 desempregados, uma redução de 11,3%. Em relação ao último trimestre, a região tem agora menos 248 desempregados, uma descida de 2,0%. São dados positivos”, afirmou Francisco César.

No entanto, para os Trabalhadores Social Democratas (TSD) dos Açores, estrutura autónoma do PSD regional, o combate ao desemprego no arquipélago “continua a fracassar”, alegando que a região continua com a taxa de desemprego mais elevada do país.

“A divergência dos Açores em relação ao país põe em evidência a falência das políticas regionais de criação de emprego e incentivo à competitividade. Esta é a marca indelével da governação socialista”, consideram os TSD/Açores, em comunicado, destacando, ainda, que no último trimestre o desemprego jovem também cresceu nas ilhas, contrariando a tendência do país.

Garantindo que o PS/Açores “não se dá por satisfeito” com os indicadores agora revelados, Francisco César refere que “a região tem sabido promover o emprego”, lembrando “as dezenas de medidas já implementadas de fomento à criação de emprego, defesa e salvaguarda de milhares de postos de trabalho”.

Para Francisco César, o Governo dos Açores, que é socialista, tem sabido minimizar as políticas de austeridade e recessão implementadas nos últimos anos pelos partidos da coligação PSD/CDS-PP que governa o país.

Já os TSD/Açores consideram que a realidade demonstra que “apesar dos anúncios de programas e mais programas feitos pelo Governo Regional, a estratégia para combater o desemprego continua a não ser eficiente”.

Os TSD/Açores acrescentam que, de acordo com os números do INE, “mais de 19 mil açorianos estão privados de rendimentos do trabalho para fazer uma vida condigna, cerca de cinco mil estão envolvidos em programas ocupacionais para desempregados e nos últimos três anos foram extintos nas ilhas 5.152 postos de trabalho”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.