PS/Açores marca para janeiro eleições para a liderança e congresso em março

PS/Açores marca para janeiro eleições para a liderança e congresso em março

 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Nov de 2015, 10:31

O PS/Açores vai realizar a 15 e 16 de janeiro eleições para a liderança do partido na região com Vasco Cordeiro, também presidente do Governo Regional, a recandidatar-se a um segundo mandato.

A data foi aprovada na reunião da Comissão Regional do PS/Açores, que decorreu sexta-feira à noite, em Ponta Delgada, onde também ficou acertado que o XVI Congresso Regional do PS/Açores decorrerá a 18, 19 e 20 de março, na ilha de S.Miguel, segundo divulgou o partido.

“Estes eventos integram-se no esforço que o PS tem feito, e com sucesso, de renovação nos Açores, de melhoria das suas competências de de preparação num ano em que disputará um ato eleitoral e em que proporá aos açorianos a renovação do contrato de confiança que tem tido para governar os Açores”, sublinhou o presidente honorário do PS/Açores, Carlos César.

O antigo líder do PS/Açores e do Governo açoriano, citado numa nota de imprensa do PS/Açores, salientou que o partido "teve uma grande renovação nas últimas eleições", passando a ser Vasco Cordeiro a presidir ao Governo dos Açores.

Em 2016 serão realizadas eleições regionais nos Açores.

Carlos César, que preside, na qualidade de presidente honorário do PS Açores, à Comissão Regional, disse ainda que Vasco Cordeiro vai "recandidatar-se a um segundo mandato", acrescentando que "é um jovem presidente do Governo, à frente de uma administração também ela jovem, recentemente renovada e que será, com certeza, renovada, quer nessa componente de renovação humana, quer do ponto de vista da renovação de competências”.

Carlos César sublinhou que existe uma “grande unanimidade e um grande apoio no interior do PS/Açores em torno da liderança de Vasco Cordeiro”, sublinhando que este “tem revelado ao longo destes primeiros três anos uma grande competência e um grande sentido de inovação, que é muito importante nos tempos de hoje”, mas salientou que o PS "é um partido democrático", onde "todos se podem candidatar aos lugares disponíveis".

"Estamos numa fase muito difícil do país. Uma fase que também contamina negativamente a nossa região e a forma como o Governo regional tem procurado atenuar os efeitos negativos que aqui nos chegam tem permitido que a região tenha um desempenho em múltiplos domínios que é melhor que aquele que existe a nível nacional", acrescentou.

Considerou ainda que o partido "tem sempre demonstrado ao longo dos anos uma grande capacidade de renovação, de adaptação aos tempos novos, de reformismo, de acompanhamento das novas tendências e que tem sido isso que lhe tem permitido também de forma continuidade merecer a confiança dos açorianos".

"Esta proposta é uma proposta também ela jovem e também ela renovada", frisou ainda Carlos César, que é também lider da bancada do PS na Assembleia da República.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.