Primeiro-ministro defende ser necessário preparar já quadro comunitário pós-2020

Primeiro-ministro defende ser necessário preparar já quadro comunitário pós-2020

 

AO/Lusa   Nacional   27 de Mai de 2017, 14:22

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu hoje que se tem de começar já a preparar o quadro comunitário pós-2020, considerando que esse poderá ser uma oportunidade para intervenções rodoviárias que ficaram por fazer.

 

"O pós-2020 é já amanhã", disse António Costa, realçando que, para que não se voltem "a perder dois anos, como se perdeu na transição do QREN para o Portugal 2020", é necessário "preparar já o pós-2020" para que se entre em 2021 em plena execução do futuro quadro comunitário.

O líder do executivo socialista, que falava em Tábua, distrito de Coimbra, realçou que se a transição entre quadros comunitários for rápida dá condições a todos os que perspetivam investimentos saberem "quais são as infraestruturas com que podem contar para o futuro".

"O país tem de continuar também a investir nas suas infraestruturas", frisou António Costa, que falava durante a cerimónia de inauguração do Centro de Investigação & Desenvolvimento do grupo Aquinos, sediado em Tábua.

Apesar de haver "uma ideia" de que o país já tinha feito todo o investimento que necessitava em termos de infraestruturas, nomeadamente os grandes investimentos em vias estruturantes, falta "agora fazer o resto", notou.

Na ótica do líder do executivo socialista, há "muitas qualificações, muitas ligações de pequenos troços rodoviários que, sendo pequenos à escala nacional, transformam completamente aquilo que é a inserção de polos empresariais e industriais de zonas hoje relativamente afastadas dos grandes eixos rodoviários".

Face às limitações do atual quadro comunitário para esse tipo de investimentos, António Costa afirmou que se tem de trabalhar já para que, "quer num quadro de reprogramação, quer sobretudo no quadro do pós-2020", se faça "aquilo que falta ser feito".

À imagem daquilo que já tinha dito em Góis hoje de manhã, António Costa voltou a destacar a importância da confiança dos cidadãos e investidores no país, bem como o crescimento da economia.

Pela segunda vez hoje, o primeiro-ministro citou o ex-presidente da República Jorge Sampaio, que, em 2003, na cerimónia do 25 de Abril, disse que "há mais vida para além do orçamento".

"Não há ilusões: só sairemos do Procedimento por Défice Excessivo se nunca nos esquecermos que há mais vida para além do orçamento e que só com uma economia forte podemos ter contas públicas saudáveis e sustentáveis para o futuro do país", afirmou António Costa, durante a cerimónia no novo espaço do grupo Aquinos.

O novo centro da empresa sediada em Tábua integra uma escola de formação interna e externa, um novo gabinete criativo, um estúdio fotográfico 360 graus e um ‘showroom' de 3.000 metros quadrados.

"Só seremos competitivos com base na qualificação", realçou o primeiro-ministro.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.