Presidente promete silêncio sobre eutanásia e quer "mãos livres" para decidir

Presidente promete silêncio sobre eutanásia e quer "mãos livres" para decidir

 

LUSA/AO Online   Nacional   22 de Mai de 2017, 15:18

O Presidente da República prometeu hoje não falar "em substância" sobre a morte assistida enquanto decorrer o debate sobre o tema e até o parlamento tomar qualquer decisão porque quer ficar de "mãos livres para decidir".

“Não vou tomar nenhuma posição até final do processo, qualquer que ele seja. E só tomarei uma posição se tiver que tomar [uma decisão] em termos constitucionais, se chegar a Belém um diploma ou mais do que um diploma para promulgar”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, depois de abrir o ciclo de debates “Decidir sobre o final da Vida”, na Faculdade de Ciências Médicos, em Lisboa. Até ao fim do processo legislativo, seja ele quando for, o Presidente quer ficar em silêncio, fazendo apenas um apelo ao debate para “não condicionar a liberdade de ninguém”. “Até lá, nem uma palavra sobre a matéria”, afirmou. Por outro lado, o chefe do Estado disse querer “ficar de mãos livres para decidir em função” do que lhe for apresentado. O partido Pessoas - Animais - Natureza (PAN) já apresentou um projeto de lei, o Bloco de Esquerda tem um anteprojeto e o Partido Ecologista “Os Verdes” também anunciou a intenção de apresentar um diploma. O Presidente da República elogiou a iniciativa do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, que lançou este ciclo de debates, que se prolonga até dezembro e irá percorrer várias cidades do país. É um debate, disse, que envolverá especialistas e profissionais “interessados por uma matéria que é multidisciplinar” - médicos, filósofos, juristas, psicólogos, representantes de organizações ligadas ao tema.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.