Possibilidades de pesca e reforma do sector do vinho dominam último conselho de Agricultura liderado por Lisboa


 

Lusa / Ao online   Economia   16 de Dez de 2007, 11:15

Os ministros da Agricultura e Pescas dos 27 reúnem-se entre segunda e quarta-feira, em Bruxelas, na habitual "maratona" para decidir as possibilidades de pesca, esperando ainda chegar a acordo político sobre a reforma do sector do vinho.
    No entanto, a discussão sobre as possibilidades de pesca para 2008 poderá ser mais curta que o habitual uma vez que, segundo disse à Agência Lusa fonte da presidência portuguesa da União Europeia, muito do trabalho foi já feito pelas delegações nacionais.

    No final da reunião, o ministro português, Jaime Silva, passará a pasta ao seu homólogo da Eslovénia, Iztok Jarc.

    A Comissão Europeia propõe cortes de 25 por cento nos totais admissíveis de captura em espécies como o tamboril, que afectará pescadores portugueses, e o bacalhau.

    O verdinho do mar do Norte e o arenque também deverão ver as suas capturas muito diminuídas, propondo Bruxelas, respectivamente cortes de 32 e 41 por cento.

    Outro dossier que dominará o conselho é o da reforma da organização comum do mercado (OCM) vitivinícola elaborado pela Comissão Europeia, poderá fechar nesta reunião, cumprindo-se assim uma das metas traçadas por Lisboa para o semestre que agora encerra.

    Nesta última reunião dos 27 liderada por Jaime Silva poderão ser resolvidas as questões políticas que foram sendo adiadas nas reuniões anteriores, como o contestado fim dos direitos de plantação, o conteúdo dos envelopes financeiros nacionais - que deverá ser fixado em sede de Conselho -, a transferência de verbas para o desenvolvimento rural (co-financiado pelos Estados-membros) e a proibição da adição de açúcar para aumentar o teor alcoólico (chaptalização), praticada em países como Alemanha e Luxemburgo.

    Os ministros da Agricultura dos 27 têm a seu favor um parecer favorável do Parlamento Europeu em algumas destas questões, contrariando pretensões de Bruxelas.

    Os eurodeputados portugueses Luís Capoulas Santos (PS, ex-ministro da Agricultura) e Duarte Freitas (PSD) consideraram que o texto saído do PE, com 494 votos a favor, 115 contra e 84 abstenções é globalmente favorável a Portugal, nomeadamente ao manter os apoios à destilação de álcool de boca, medida importante para a competitividade de vinhos generosos, como o do Porto.

    Os dois parlamentares eleitos pelo PCP têm opinião contrária ao considerarem ser uma "má proposta" para o sector.

    Ainda no sector da Agricultura, será analisada uma proposta da Comissão Europeia para aumentar as quotas de produção de leite, uma medida que visa responder à subida do preço dos lacticínios no mercado.

    Bruxelas propõe um aumento de 2 por cento nas quotas leiteiras para a próxima campanha - que começa a 01 de Abril próximo - cabendo a Portugal 1.987 toneladas, mais 38 mil toneladas que o valor de referência para 2008/2009 (1.948 toneladas).

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.