Portugueses bebem mais refrigerantes em lata em 2013

Portugueses bebem mais refrigerantes em lata em 2013

 

Lusa/AO online   Nacional   22 de Out de 2014, 18:46

A aposta na versatilidade das latas faz com que esta embalagem ganhe cada vez mais adeptos em solo nacional

O ano de 2013 ficou marcado pela crise europeia e Portugal não foi exceção. Se o ano de 2012 mostrou notáveis melhorias com uma subida de 6,5% no total de latas cheias, 2013 trouxe um decréscimo de 6,7%, perfazendo um total de 750 milhões de latas cheias (cervejas e refrigerantes).

Apesar do contexto macroeconómico, o sector das ‘soft drinks’ registou um ligeiro aumento no ano transato, assinalando mais 0,6% de latas cheias do que em 2012. Um total de 569 milhões de latas cheias em 2013, no âmbito das bebidas refrigerantes. Contudo, o setor das cervejas, tradicionalmente com valores mais baixos em Portugal, caiu 23,9%, registando um total de 182 milhões de latas de cerveja cheias. ‘Esta redução deveu-se, sobretudo, à austeridade estabelecida em Portugal, o que levou à diminuição dos hábitos de consumo de bebidas em cafés e em bares, beneficiando o consumo no lar. Contudo, estes indicadores têm tendência a reverter assim que sairmos da crise económica’, refere o diretor da Associação de Latas de Bebidas, Miguel Aballe.

A aposta na versatilidade das latas, quer em termos de tamanho, quer em técnicas de ‘design’ ou acabamentos, como as tintas termocromáticas, fazem com que o entusiasmo com estas embalagens aumentem por parte das marcas de bebida. A campanha ‘share a coke’, levada a cabo pela Coca-Cola no início deste verão, é exemplo disso. O enorme sucesso desta campanha, que permitiu com que os consumidores personalizassem a sua própria lata, deveu-se sobretudo à proximidade entre a lata e o consumidor.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.