Tecnologia

Portugal vai ter 160 mil 'tablets' em 2011


 

Lusa/AO online   Economia   23 de Nov de 2010, 17:44

Os "Tablets" são o produto electrónico com mais rápida implantação nos mercados e deverá massificar-se brevemente em Portugal, chegando às 160 mil unidades até ao fim de 2011, frisou presidente da Innovation media Consulting, Juan Antonio Giner.
"Os 'Tablets' estão a ser o produto electrónico da história da radio, da televisão e dos computadores, com mais rápida implementação em todos os mercados", disse Juan Antonio Giner, à margem da conferência "Encontro Tablets", organizado pelo Grupo Impresa.

O responsável lembrou que o "iPad" não está disponível em Portugal, mas sublinhou que há um interesse enorme de milhares de pessoas que o compram fora e em viagens.

"É evidente que o 'Tablet' será uma plataforma que se implantará massivamente. As previsões nos EUA quando se lançou o primeiro "Tablet" "iPad", da Apple, em Abril deste ano, calculavam que se podiam vender quatro milhões, mas vão ser comercializados até ao final do ano 11 milhões, ou seja, mais do dobro", frisou.

Até ao final do próximo ano, acrescentou à Lusa o vice-presidente do Grupo Impresa, Pedro Norton, deverão ser comercializados 160 mil "Tablets", um aparelho que caracteriza como "muito simples, no fundo um ecrã táctil, onde se pode ler jornais e revistas de uma forma muito intuitiva, ver vídeo, ouvir radio e ler livros".

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.