Portugal tem que continuar a trabalhar na formação dos professores

Portugal tem que continuar a trabalhar na formação dos professores

 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Jan de 2015, 11:11

A OCDE defende que Portugal precisa de "continuar a trabalhar numa definição mais clara" dos percursos profissionais de professores e diretores escolares, garantindo formação adequada e formação contínua para os docentes.

 

A posição da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) consta do relatório ‘Perspetivas das Políticas Educativas para 2015: Concretizar as Reformas’, divulgado pela organização internacional.

A OCDE entende ainda que uma das questões e objetivos principais das políticas educativas de Portugal para este ano, no que diz respeito às instituições, deverá passar por continuar a desenvolver formas de avaliação centradas nas aprendizagens dos alunos, o que, refere-se no relatório, “forneceriam informação mais clara sobre a forma como as escolas, diretores e professores podem melhorar o desempenho em sala de aula, indo para além do objetivo da responsabilização ou prestação de contas”.

No que diz respeito aos alunos, a OCDE destaca que os principais desafios do país são garantir o cumprimento da escolaridade obrigatória de 12 anos e aumentar o nível da frequência no ensino secundário e ensino superior.

A organização internacional afirma também que Portugal enfrenta o desafio de garantir um ensino inclusivo e de qualidade para todos os alunos.

Sobre o sistema de ensino, a OCDE faz referência à “grande importância” dos objetivos de descentralização da gestão e de uma maior autonomia das escolas, assim como de racionalização dos recursos financeiros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.