Portugal cai nos 'quartos' do Mundial de sub-20 frente ao Uruguai

 Portugal cai nos 'quartos' do Mundial de sub-20 frente ao Uruguai

 

LUSA/AOnline   Futebol   4 de Jun de 2017, 12:42

Portugal foi hoje eliminado nos quartos de final do Mundial de futebol de sub-20 frente ao Uruguai, após o guarda-redes Mele defender três grandes penalidades no desempate (5-4), após a igualdade 2-2 no tempo regulamentar e no prolongamento.

O guardião foi fulcral nos castigos máximos, negando o golo a Pêpê, José Gomes e André Ribeiro, depois de oito grandes penalidades convertidas. Amaral e Viña ainda desperdiçaram penáltis para o Uruguai, mas Bueno, que já tinha marcado durante os 90 minutos sentenciou a eliminatória.

Os pontapés a 11 metros da baliza foram o local da decisão do encontro dos ‘quartos’, depois de Portugal e Uruguai se equivalerem durante o tempo regulamentar e se recearem no prolongamento.

Com o mesmo ‘onze’ da vitória frente à anfitriã Coreia do Sul (3-1), nos oitavos de final, os comandados de Emílio Peixe entraram, praticamente, em vantagem no jogo, com o golo de Xande Silva, aos 55 segundos, beneficiando de uma recuperação de bola de Xadas no meio-campo ofensivo português.

A defesa uruguaia tentava organizar o jogo e o médio luso ‘roubou’ a bola, proporcionado a primeira ocasião do encontro, que Xande Silva, frente a Mele, não desperdiçou.

O golo no primeiro minuto ‘adormeceu’ a equipa das ‘quinas’, que cedeu a iniciativa do jogo à seleção sul-americana, que viria a empatar, aos 16 minutos, por Bueno, na sequência de um canto largo da esquerda, que Rogel desviou para a trave, sobrando a bola para o seu companheiro no centro da defesa uruguaia.

A igualdade voltaria a ser desfeita aos 41 minutos, graças a um ‘tiro’ cruzado de fora da área de Diogo Gonçalves, que assinou o seu terceiro golo na prova.

Quatro minutos depois do intervalo, o Uruguai voltou a marcar, na conversão de uma grande penalidade, que castigou um ‘pisão’ de Yuri Ribeiro a Canobbio. Na cobrança, Valverde empatou a partida, apesar do esforço do guarda-redes Diogo Costa.

Até ao fim do tempo regulamentar, as duas equipas tentavam reduzir as hipóteses de erros, tendo o Uruguai apostado sobretudo nas bolas paradas, enquanto Portugal, com algum desconforto, tentava assumir o encontro.

Mesmo assim, a equipa lusa dispôs de duas boas ocasiões, caso do remate ao lado da baliza de Xadas, aos 76, e do ‘tiro’ de Gedson, aos 88, que o guarda-redes uruguaio defendeu atabalhoadamente, sem que André Ribeiro conseguisse corrigir.

Depois de um prolongamento ‘morno’, as grandes penalidades e Mele colocaram o Uruguai nas meias-finais, frente à Venezuela e em busca de uma terceira final do Mundial, depois dos segundos lugares em 1997 e 2013.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.