Segurança

Policiamento de proximidade previne problemas mas não resolve todos os males

Policiamento de proximidade previne problemas mas não resolve todos os males

 

Lusa/AO online   Nacional   29 de Out de 2010, 10:55

O policiamento de proximidade das zonas urbanas mais sensíveis contribui para diminuir tensões e reduzir a criminalidade violenta, mas não é a panaceia para todos os males dos bairros mais problemáticos, defendeu o Comandante Distrital da PSP de Setúbal.
Bastos Leitão salientou a importância deste tipo de iniciativas – muitas vezes associadas aos CLS (Contratos locais de Segurança) –, para prevenir problemas de ordem pública e de criminalidade a médio e longo prazo.

À margem dos CLS, a PSP também está a implementar o policiamento de proximidade, por iniciativa própria, em diversos bairros do distrito de Setúbal, como acontece desde o passado mês de Setembro na Quinta da Princesa, no Seixal, onde a presença da PSP parece estar a ser bem aceite pela comunidade.

“Neste momento estamos numa fase de diagnóstico, de falar com as pessoas, os comerciantes locais, os residentes, as forças vivas, juntas de freguesia e associações, para perceber quais são os seus problemas”, esclareceu Bastos Leitão.

O responsável esclareceu que se trata de “um processo lento que requer alguma paciência, para se ganhar a confiança e a credibilidade da comunidade local”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.