Polícia brasileira realiza operação contra manipulação de licitações de estradas

Polícia brasileira realiza operação contra manipulação de licitações de estradas

 

Lusa/AO online   Internacional   22 de Fev de 2018, 14:40

A polícia brasileira realizou esta quinta-feira uma operação em quatro Estados do país contra uma rede de corrupção que supostamente manipulou licitações de concessão de estradas, informaram fontes oficiais.

A ação faz parte da Operação Lava Jato, que investiga desvios de milhões de dólares ocorridos dentro da empresa petrolífera estatal Petrobras e outros órgãos públicos brasileiros, num escândalo que já envolveu importantes políticos e empresários do país.

Hoje, agentes federais, funcionários do Tesouro e magistrados do Ministério Público cumpriram 50 mandados de busca e sete ordens de prisão preventiva nos Estados do Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro e São Paulo.

Num comunicado, o Ministério Público Federal (MPF) explicou que "a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em alvos relacionados a Rodrigo Tacla Duran, que atuava como operador financeiro para diversas empreiteiras [construtoras] no país, auxiliando na produção de dinheiro em espécie ou operacionalizando pagamentos de suborno no exterior por intermédio de movimentação entre contas 'offshores'".

Os investigadores informaram que identificaram atos de branqueamento de capitais e "uma verdadeira rede de empresas de fachada com a participação de agentes públicos e outros operadores financeiros em ilícitos criminais cometidos em favor da concessionária Econorte, do Grupo Triunfo".

Este inquérito também resultou na identificação de ilícitos na atuação da concessionária Econorte em relação à execução do contrato de concessão rodoviária.

A concessionária investigada teria sido usada para "operar, esconder e disfarçar" títulos cuja origem proveniente de "atos de corrupção".

Entre os detidos figura Nelson Leal, diretor-geral do Departamento de Estradas do Paraná.

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção, fraude em licitação e branqueamento de capitais.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.