Pescas

Pescadores ganharam menos de 250 euros/mês

Pescadores ganharam menos de 250 euros/mês

 

Pedro Nunes Lagarto   Regional   12 de Fev de 2010, 14:02

No primeiro semestre do ano passado em 224 embarcações cerca de 40 por cento dos armadores já não conseguiam pagar os respectivos seguros, uma situação que se terá agravado até ao fim do ano como consequência da progressiva quebra de rendimentos, afirma Liberato Fernandes, dirigente da Cooperativa Porto de Abrigo, que reúne esta sexta-feira em plenário de pescadores e armadores, no Centro Cívico e Cultural de Santa Clara.
A Cooperativa Porto de Abrigo fez um levantamento exaustivo da situação financeira nas pescas em 2009, por embarcação, tendo concluído que, em média, e independentemente da arte utilizada, “cada pescador levou para casa menos de 250 euros por mês, cerca de metade do salário mínimo regional”, salienta Liberato Fernandes.

“Mesmo nas artes de pesca que trazem mais benefícios financeiros, como o palangre, os resultados foram muito maus no ano passado, o que não se conseguirá suportar este ano”, acrescenta.

Esta sexta-feira, Liberato Fernandes diz esperar a análise e discussão de “várias propostas” para fazer face à crise existente no sector das pescas, situação particularmente complexa na ilha de São Miguel, onde se concentra o grosso da comunidade piscatória regional.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.