Pescadores dos Açores dizem que criação de Secretaria do Mar é boa medida, mas tardia


 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Jul de 2014, 10:49

O presidente da Federação das Pescas dos Açores considerou hoje uma "boa medida, que peca por tardia", a criação da Secretaria do Mar no Governo Regional, no âmbito da remodelação do executivo anunciada no domingo.

"Uma mega Secretaria como aquela que estava criada”, que “englobava pescas, agricultura, florestas, ambiente, mar, era tão dispersa que a pesca ficava a perder", disse José António Fernandes, em declarações à agência Lusa.

O presidente do Governo dos Açores anunciou no domingo uma remodelação do seu executivo que inclui a criação das secretarias do Mar e dos Assuntos Parlamentares e a substituição dos titulares das pastas da Solidariedade Social e da Educação.

A nova Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia terá as pescas entre as suas competências, pasta que deixa de estar da Secretaria dos Recursos Naturais, que passa a englobar apenas as áreas da Agricultura e do Ambiente.

A federação que representa os pescadores açorianos considera que esta é uma "boa medida que já peca por tardia".

José António Fernandes sublinhou que a pesca tem "um peso muito grande" nos Açores, sendo dos setores que emprega mais pessoas e mais exporta e que até há algum tempo, em executivos anteriores, havia um subsecretário regional "só para as pescas", que tinha assento no Conselho do Governo açoriano e "conhecia bastante os problemas da pesca e dos pescadores".

"Era totalmente diferente da mega Secretaria atual em que o senhor secretário, que respeito muito, tinha muito mais conhecimento da agricultura do que das pescas e onde tinha uma responsabilidade enorme neste conjunto de direções regionais", afirmou, acrescentando: “era uma Secretaria tão dispersa que nós ficávamos perdidos ali algures no meio daquilo tudo”.

A federação espera agora que o novo secretário regional do Mar "seja uma pessoa conhecedora das pescas, porque não basta ser conhecedora do mar".

"Esperamos que o novo secretário que vai ter a cargo a pasta do pesca seja um homem que compreenda os problemas reais e sérios que a pesca tem", disse José António Fernandes, afirmando desconhecer o nome de Fausto Brito e Abreu.

A nova Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia terá à frente Fausto Brito e Abreu, de 43 anos, que já foi conselheiro para os Assuntos de Ambiente, Clima e Política Marítima na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia, em Bruxelas. Integrou também os gabinetes das secretarias de Estado do Ambiente dos Governos de José Sócrates.

"Terá como competências as pescas e aquicultura, a exploração oceanográfica e o licenciamento de usos do mar e seus fundos, as orlas costeiras e a cooperação com a Polícia Marítima e, ainda, a Ciência e Tecnologia e o relacionamento com a Universidade dos Açores e demais entidades de formação superior", segundo uma nota do executivo regional divulgada no domingo.




Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.