Peritos nucleares nomeados pelo governo japonês tiveram financiamento da indústria

Peritos nucleares nomeados pelo governo japonês tiveram financiamento da indústria

 

Lusa / AO online   Internacional   3 de Nov de 2012, 11:32

Os peritos nomeados pelo Governo japonês para criar os requisitos de segurança para os reatores nucleares terão recebido financiamento para investigação das empresas energéticas ou de fabricantes na indústria atómica, levantando questões sobre a neutralidade dos especialistas.

 

A Autoridade de Regulação Nuclear japonesa afirmou na sexta-feira que o Professor Akio Yamamoto da Universidade de Nagoya terá recebido cerca de 27,14 milhões de ienes (cerca de 262 mil euros à taxa de câmbio atual) nos últimos três anos para investigação sobre reatores nucleares.

Neste valor estão incluídos 6,28 milhões de ienes (cerca de 60,6 mil euros) pagos por uma subsidiária da Tokyo Eletric Power, a empresa que gere a central nuclear de Fukushima Daiichi, a que mais sofreu com o tsunami que afetou o Japão no ano passado.

A autoridade disse ainda que três dos outros seis membros da equipa de peritos terão recebido financiamento da indústria que estariam a tentar regular.

Obter este financiamento não é ilegal por si só, mas está a levantar dúvidas sobre a imparcialidade da equipa em questão, uma vez que a industria beneficiaria de padrões mais baixos.

A comissão pediu aos membros da equipa para de forma voluntária darem informação sobre este tipo de financiamento, incluindo bolsas e donativos, num esforço para aumentar a transparência.

Akira Yamaguchi, Professor na Universidade de Osaka, recebeu 10 milhões de ienes (cerca de 96,6 mil euros) neste tipo de financiamento, incluindo 3 milhões de ienes (cerca de 29 mil euros) da Mitsubishi Heavy Industries, que fabrica centrais nucleares.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.