Organização francesa vai à Mauritânia avaliar segurança


 

Lusa/AO   Outras modalidades   27 de Dez de 2007, 16:03

A organização do rali Lisboa-Dakar2008 anunciou que vai reunir-se com as autoridades mauritanas para avaliar as condições de segurança para a prova,
A organização do rali Lisboa-Dakar2008 anunciou que vai reunir-se com as autoridades mauritanas para avaliar as condições de segurança para a prova, após o assassínio de quatro franceses naquele país africano.
 A decisão foi anunciada num comunicado colocado no site da prova na Internet e tomada na sequência do assassínio de quatro franceses pertencentes a uma família, segunda-feira, na Mauritânia, numa zona situada cerca de 250 quilómetros a sudeste de Nouakchott.
"Na sequência do trágico acontecimento ocorrido segunda-feira na Mauritânia, os organizadores do Dacar decidiram deslocar-se a Nouakchott, a partir de quinta-feira, para se reunirem nos próximos dias com as autoridades mauritanas e os serviços da embaixada francesa, com o objectivo de avaliarem com eles a situação e assegurarem que estão reunidas todas as condições para que o país acolha o Dakar2008 nas melhores condições de segurança", indicou a organização no comunicado.
Quatro turistas franceses foram mortos a tiro e um quinto ficou gravemente ferido segunda-feira em Aleg, na zona oriental da Mauritânia.
As primeiras notícias davam conta de que na origem das mortes teria estado um assalto perpetrado por homens armados, mas depois as autoridades mauritanas atribuiram-nas a um acto de terroristas islâmicos.
Na terça-feira, a polícia mauritana descartou a hipótese de roubo como motivo do assassínio dos quatro turistas, afirmando tratar-se de "um golpe montado por islamitas que estavam presos".
A posição da polícia mauritana foi expressa pelo comissário de Aleg, Sidim Salem, enquanto o governador da região de Brakna, Sidi Maoloud Ould Grahim, adiantou que no decurso da investigação em curso três pessoas estavam a ser interrogadas.
A polícia adiantou que dois homens e uma mulher foram detidos, enquanto outras seis mulheres foram interpeladas pela presumível ligação com o sucedido.
Uma sétima mulher permanecia nas instalações da polícia para "completar as informações disponíveis".
O incidente ocorreu a cerca de 250 quilómetros a sudeste de Nouakchott e quatro cidadãos franceses morreram, entre os quais dois menores, e um quinto (todos pertencentes à mesma família) ficou gravemente ferido, depois de três indivíduos os terem obrigado a entregar-lhes todos os valores, após o que os alvejaram a tiro antes de se porem em fuga.
A Mauritânia recebe em 2008 oito das 15 etapas do rali todo-o-terreno Lisboa-Dakar, que arranca da capital portuguesa a 5 de Janeiro e termina nas margem do Lago Rosa a 20.
A organização decidiu realizar este ano mais etapas na Mauritânia depois de ter excluído a passagem da caravana pelo Mali, por razões de segurança.
Agora, vai reunir-se com os responsáveis do país africano e da embaixada francesa para determinar se ainda estão reunidas condições para a passagem dos concorrentes pela Mauritânia.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.