Orçamento Regional para 2018 marca um novo ciclo de desenvolvimento

 Orçamento Regional para 2018 marca um novo ciclo de desenvolvimento

 

Lusa/AO online   Regional   31 de Out de 2017, 16:05

O vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, disse hoje que o Plano e Orçamento para 2018 marcam "um novo ciclo de desenvolvimento da região", assente no crescimento económico, no reforço do emprego e no reforço dos apoios sociais.


O governante, que falava aos jornalistas após a entrega, na sede do parlamento dos Açores, na Horta, das propostas de Plano e Orçamento para 2018, realçou também as preocupações com a "estabilidade orçamental" e com a "redução das despesas" de funcionamento da Administração Regional.

"Este orçamento e este plano marcam um novo ciclo de desenvolvimento da região, assente claramente no crescimento económico e na competitividade das empresas, no reforço da criação de emprego, mas particularmente de melhor emprego, mais bem remunerado, mais qualificado e mais estável, e ainda num reforço dos apoios sociais", explicou o governante.

O titular da pasta das finanças no arquipélago destacou ainda o facto de as propostas de Plano e Orçamento para 2018 contemplarem um "reforço significativo da autonomia financeira da região", adiantando que as receitas próprias "superam as despesas de funcionamento da Administração Regional".

Sérgio Ávila garante, ainda assim, que no próximo ano haverá um "aumento do rendimento disponível das famílias", em cerca de 28 milhões de euros, conseguido à custa da redução em sede de IRS e do imposto sobre o rendimento do trabalho.

Outra das novidades dos documentos (que definem as linhas estratégias do Governo para 2018), é a existência, pela primeira vez na região, de um orçamento participativo, que será dedicado a investimentos nas áreas do turismo, do ambiente, da juventude e da inclusão social.

Apesar dos elogios aos documentos, Sérgio Ávila diz que o Governo está recetivo a propostas de alteração que venham a ser apresentadas em sede de debate parlamentar pelos partidos da oposição, desde que sejam "realistas e concretizáveis".

"Como dizemos todos os anos, estaremos disponíveis para acolher todas as propostas e os contributos de todos os partidos, desde que sejam propostas realistas, concretizáveis e que estejam de acordo com o espírito e com a estratégia subjacente a esses documentos", ressalvou o governante.

O Orçamento da Região para o próximo ano ascende a 1.292 milhões de euros, dos quais 503 milhões estão inscritos no Plano de Investimentos (753 milhões, incluindo os fundos comunitários).

O debate das propostas de Plano e Orçamento para 2018 vai decorrer, no parlamento dos Açores, entre 28 e 30 de novembro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.