Orçamento municipal de Angra do Heroísmo reduz 4ME em 2015

Orçamento municipal de Angra do Heroísmo reduz 4ME em 2015

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Nov de 2014, 18:29

O orçamento municipal de Angra do Heroísmo para 2015, com uma redução de quatro milhões de euros em relação a este ano, foi aprovado, em reunião de câmara, com votos a favor do PS e contra do PSD e CDS-PP.

O documento ainda terá de ser aprovado pela Assembleia Municipal de Angra do Heroísmo, no final do mês, mas o PS tem maioria.

Em 2015, a autarquia de Angra do Heroísmo terá um orçamento de 18 milhões de euros, quando em 2014 dispunha de 22 milhões de euros.

Segundo disse hoje o presidente do município, Álamo Meneses, a redução "considerável" deve-se a este ser um ano de "transição" de fundos europeus e, por isso, ainda não terem sido abertas candidaturas ao novo quadro comunitário de apoio.

O presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo disse ainda que a autarquia "solidificou" a sua situação financeira, este ano, tendo reduzido o seu endividamento em 1,5 milhões de euros, o que corresponde a cerca de 10%, já que a dívida da responsabilidade da câmara atinge os 11 milhões de euros.

O orçamento para 2015 é "apertado", segundo Álamo Meneses, e tem como prioridade a "criação e manutenção do emprego", por isso, a autarquia vai manter cerca de 200 trabalhadores num programa ocupacional de emprego do Governo Regional dos Açores.

Quanto aos investimentos, a Teramb, empresa intermunicipal das autarquias de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória (ilha Terceira), está atualmente a construir uma central de resíduos, orçada em 36 milhões de euros e financiada por fundos comunitários.

O orçamento da autarquia de Angra do Heroísmo inclui ainda a construção de uma escola e de um pavilhão desportivo, bem como a recuperação de estradas e um apoio à Universidade dos Açores de 50 mil euros.

Os vereadores do PSD e do CDS-PP, que concorreram em coligação nas últimas eleições locais, votaram contra a proposta da autarquia, alegando que têm "uma visão" e "opções estruturantes" diferentes para o futuro do concelho, nomeadamente no que diz respeito às soluções para o trânsito e o estacionamento na cidade e à construção do novo mercado municipal.

A oposição lamentou ainda que o PS não tivesse aprovado as suas propostas para a implementação de um orçamento participativo e para a devolução da variável de IRS aos munícipes.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.