"O Natal já quase não existe"

"O Natal já quase não existe"

 

Rui Jorge Cabral   Regional   24 de Dez de 2011, 10:24

O escritor Daniel de Sá reuniu 25 contos abrangendo quatro décadas da sua vida literária no seu mais recente trabalho "O Deus dos Últimos", publicado pela Ver Açor. "O Deus dos Últimos", que fala do Natal, mas não só. Fala "sobre a condição humana" em geral, começa por referir o seu autor, Daniel de Sá, em entrevista ao Açoriano Oriental.

"Há contos tradicionais do Natal, mas muitos deles são contos de qualquer altura do ano e de qualquer momento da vida, que falam das dificuldades de ser homem, mulher ou criança neste mundo", afirma.

O Natal atravessa, no entanto, algumas das narrativas de "O Deus dos Últimos", um Natal "que já quase não existe, religiosamente considerado", diz Daniel de Sá. Um Natal feito de quase nada e mais espiritual "que vinha de dentro para fora" e que foi dando lugar ao longo dos anos em que a prosperidade em Portugal foi aumentando, a um certo "espectáculo nas ruas e nas casas, com muita luz e mesas muito cheias e pouco tempo verdadeiramente para o Natal".

Embora a sua obra tenha alguns títulos com ressonâncias religiosas, Daniel de Sá admite que este não é um propósito do seu trabalho - o falar da religião propriamente dita - mas antes do que ele define como um "sentimento de procura existente no ser humano sobre o significado da vida". Até escritores como José Saramago, refere Daniel de Sá, "quando falam na ausência de Deus, no fundo revelam também uma certa nostalgia pela sua perda". *

 

*Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de domingo, 25 de Dezembro de 2011.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.