Número de desempregados em rota descendente


 

Lusa/AO online   Economia   21 de Dez de 2007, 17:47

O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego em Portugal caiu 13,2 por cento em Novembro, face a igual mês de 2006, mantendo a trajectória descendente pelo 21º mês consecutivo, indicou  o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).
      Quando comparado com o mês anterior, o número de desempregados diminuiu 0,4 por cento.

    No final de Novembro encontravam-se inscritos nos Centros de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 397.192 desempregados, menos 60.536 que no mesmo período do ano passado e menos 1.601 desempregados que no mês de Outubro.

    A diminuição do desemprego, em termos homólogos, verificou-se nos homens e nas mulheres, tendo os homens apresentado uma redução percentual mais elevada (-17 por cento), contra -10,5 por cento no caso das mulheres.

    Por grupo etário, tanto os jovens como os adultos diminuíram no número de desempregados, com reduções de 11,5 por cento e 13,5 por cento, respectivamente.

    Todos os níveis de habilitação escolar registavam menos desempregados do que há um ano atrás, com destaque para os decréscimos verificados no 2º ciclo (-20,3 por cento) e 1º ciclo (-17 por cento) do Ensino Básico.

    A procura de novo emprego, situação que abrange 90 por cento dos desempregados, apresentou um decréscimo de 14,9 por cento, face ao mesmo mês de 2006, enquanto que a procura de primeiro emprego aumentou 5,7 por cento.

    Considerando a duração do desemprego medida pelo tempo de permanência em ficheiro, 59,5 por cento dos desempregados estavam inscritos há menos de um ano e 40,5 por cento há um ano ou mais.

    Face ao mesmo período do ano passado, o desemprego de curta duração diminuiu 13,3 por cento e o de longa duração caiu 13,2 por cento.

    A análise regional mostra o decréscimo anual do desemprego nas cinco regiões do Continente, enquanto que nas Regiões Autónomas dos Açores e Madeira se verificou uma evolução de sinal contrário.

    Tendo em conta a actividade económica de origem do desemprego, dos 346.017 desempregados que no final do mês se encontravam inscritos como candidatos a novo emprego nos Centros de Emprego do Continente, 60,4 por cento eram oriundos de actividades do sector dos serviços, 35,5 por cento da indústria e 4 por cento do sector agrícola.

    O volume de ofertas disponíveis no final do mês de Novembro totalizou 14.966, um número que traduz um aumento de 42,5 por cento, relativamente ao mês homólogo de 2006, e uma quebra de 6,5 por cento quando comparado com o mês anterior.

    Todas as regiões do país, com excepção dos Açores, apresentavam um número de ofertas superior ao verificado no mesmo mês de 2006, destacando-se o Algarve com o acréscimo percentual mais elevado (126,2 por cento).

    Ao longo do mês de Novembro inscreveram-se nos Centros de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 47.508 trabalhadores desempregados, número inferior em 12,7 por cento, face ao período homólogo, e em 14,5 por cento, face ao mês de Outubro.

    O fim de trabalho não permanente continua como principal motivo de inscrição de desempregados, representando 41,6 por cento das inscrições efectuadas ao longo deste mês nos Centros de Emprego do Continente.

    O volume de ofertas recebidas ao longo do mês totalizava 9.263, mais 16,2 por cento que no mesmo mês de 2006 e menos 19,5 por cento que no mês anterior.

    O número de colocações efectuadas ao longo do mês totalizou 5.104, valor superior ao do mês homólogo de 2006 (7,6 por cento), mas inferior ao do mês anterior (-6,4 por cento).
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.