PNR defende rota marítima entre regiões autónomas e continente

PNR defende rota marítima entre regiões autónomas e continente

 

LUSA/AO Online   Regional   14 de Mar de 2015, 17:39

O cabeça de lista do Partido Nacional Renovador (PNR) às eleições regionais da Madeira exigiu ontem uma rota marítima entre o território do continente português e as regiões autónomas, por ser "um bem essencial a todos os madeirenses".

“Estou hoje no porto do Funchal para exigir um bem essencial a todos os madeirenses que é a necessidade de um transporte marítimo idêntico ao que já tivemos no passado pela empresa da Naviera Armas, mas com algumas particularidades”, disse Álvaro Araújo numa iniciativa da pré-campanha eleitoral. O candidato do PNR sugeriu que a ligação marítima entre o continente, a Madeira e os Açores deveria ser efetuada por um barco adquirido com dinheiros dos orçamentos de Estado, das duas regiões autónomas e da União Europeia. “Desta forma todos colaboravam e todos beneficiavam”, sublinhou Álvaro Araújo, adiantando que esta ligação também deveria ser realizada alternando semanalmente as duas regiões (Continente/Madeira/Açores/Continente, e Continente/Açores/Madeira/Continente), como forma de assegurar ”justamente com igualdade as ligações entre arquipélagos e território continental português”. No entender deste cabeça de lista, “existe uma grande lacuna nestas ligações”, vincando que a sua realização “irá permitir uma maior troca comercial e consequente melhoria da economia”. Por isso, sustentou que “seja qual for o próximo governo, deverá ter uma interação positiva entre Açores e continente”, argumentando que se os governos “continuarem de costas viradas uns para os outros, quem vai sair prejudicado é a população”. Álvaro Araújo disse ainda que este tipo de ligação marítima não iria prejudicar o porto de mercadorias situado no Caniçal, concelho de Machico. “Não se preocupem com o porto do Caniçal ter menos movimento com a chegada de outra ligação marítima, porque a maioria das mercadorias vão continuar a ser descarregadas nesse porto. O porto do Caniçal nunca irá à falência”, concluiu. Hoje termina o período de pré-campanha para as eleições legislativas antecipadas na Madeira que foram convocadas pelo Presidente da República para 29 de março na sequência do pedido de exoneração apresentado pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, que chefiou o executivo madeirense desde 1978. Domingo arranca oficialmente a campanha eleitoral, concorrendo a estas eleições regionais 11 forças políticas, sendo oito partidos (PSD, CDS, JPP, BE, PND, PCTP/MRPP, PNR e MAS) e três coligações (Mudança (PS/PTP/MPT/PAN), CDU (PCP/PEV) e Plataforma de Cidadãos ‘Nós Conseguimos’ (PPM/PDA).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.