Novo Banco dos Açores com resultado líquido de 1,7 ME em 2016


 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   31 de Mar de 2017, 15:08

O Novo Banco dos Açores anunciou que encerrou o exercício de 2016 com um resultado líquido positivo de cerca de 1,7 milhões de euros, apesar do "contexto extremamente difícil", tendo captado mais de 2200 novos clientes.

"Como é sabido, foi no decurso do mandato desta administração que foi aprovada a resolução que extinguiu o BES e permitiu a criação do Novo Banco, que é o acionista de referência do Novo Banco dos Açores, com 57,5% do capital", refere em comunicado o Novo Banco dos Açores, anteriormente Banco Espírito Santo dos Açores.

O Novo Banco dos Açores assume que a liquidação do BES trouxe "muitas dificuldades", que foi possível ultrapassar "com muita resiliência e qualidade", de tal forma que "os indicadores em 2016 encontram-se todos com desempenhos muito positivos".

Quanto ao exercício de 2016 o banco destaca que os depósitos à ordem tiveram um crescimento relativamente a 2015 de 14,6%, passando de 63,2 para 72,4 milhões de euros, enquanto os depósitos a prazo passaram de 275,4 para 278,5 milhões de euros, a que corresponde um crescimento de mais 1,1%.

No que respeita ao crédito, registou-se um decréscimo de 0,2% relativamente ao ano de 2015, passando o crédito concedido de 377,4 para 376,5 milhões de euros.

Já o crédito vencido cresceu 372 mil euros, evoluindo de 18,6 para 18,9 milhões de euros, enquanto as imparidades/provisões para crédito foram de 24,6 milhões de euros, o que, segundo o banco, "atesta bem o grau de boa cobertura do crédito vencido do banco".

"Acresce que uma parte importante do crédito vencido tem garantias reais e algumas provisões constituídas, o que certamente irá influenciar positivamente os resultados de exercícios futuros", sustenta o Novo Banco dos Açores.

O último ano coincidiu, também, com a realização de uma ação de reestruturação que se traduziu numa redução de 14 colaboradores efetivos e num custo extraordinário com reformas antecipadas de 1,05 milhões de euros, informa o comunicado.

De acordo com o banco, no exercício de 2016, foi entregue aos cofres da Região Autónoma dos Açores cerca de cinco milhões de euros de impostos.

A assembleia-geral de acionistas do Novo Banco dos Açores elegeu hoje os Órgãos Sociais para o triénio de 2017 a 2019, mantendo Jaime Gama como presidente do Conselho de Administração e Gualter Furtado como presidente da Comissão Executiva.

A Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada (30%), o Grupo Bensaúde (10%) e outras 13 Santas Casas das Misericórdias do Açores (2,5%) são outros dos acionistas do Novo Banco dos Açores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.