Ruanda

Munyakazi condenado por genocídio


 

Lusa / AO online   Internacional   1 de Jul de 2010, 18:13

 O Tribunal Penal Internacional para o Ruanda (TPIR) condenou na quarta-feira o decano dos acusados de genocídio Yussuf Munyakazi, 75 anos, a 25 anos de prisão, segundo um comunicado do tribunal esta quinta-feira divulgado.

Munyakazi declarou-se culpado dos crimes de genocídio e de extermínio, de acordo com a mesma nota informativa.

A juíza presidente, a camaronesa Florence Rita Arrey, deliberou que o antigo proprietário de terrenos foi responsável pela morte de cerca de cinco mil tutsis que estavam refugiados em igrejas católicas em Shangi e Mibilizi, na diocese de Cyangugu (sudeste do Ruanda) entre 29 e 30 de abril de 1994, referiu o comunicado.

O tribunal considerou que Munyakazi esteve nas duas localidades e que foi acompanhado por dois veículos que transportavam elementos da milícia extremista hutu Interahamwe, liderando posteriormente os ataques contra os refugiados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.