Morte de jornalista "muito rigoroso" é "perda importante para a profissão"


 

Lusa / AO online   Nacional   2 de Ago de 2010, 12:37

O director do Diário de Notícias (DN), João Marcelino, destacou esta segunda-feira o seu antecessor Mário Resendes como “um homem muito rigoroso” e considerou a sua morte como “uma perda importante para o DN, mas também para a profissão”.
“Era também uma pessoa com uma opinião muito forte, essa era a parte mais mediática da vida dele, como comentador, nas rádios, nas televisões, mas, sobretudo, o que guardo dele é essa sua obstinação para que o jornalismo fosse substantivo, que é aquilo que deve ser sempre”, afirmou João Marcelino.

O jornalista Mário Bettencourt Resendes, antigo director do Diário de Notícias, morreu hoje, aos 58 anos, na sequência de cancro, disse à Lusa fonte próxima da família.

O director do DN afirmou também que “a morte do Mário Bettencourt Resendes era esperada, devido à evolução da sua doença, mas nem por isso deixa de ser um choque enorme, sobretudo para as pessoas que trabalham no DN”, onde “foi uma pessoa muito importante”.

“Era um homem com uma grande capacidade de liderança, um grande jornalista, um homem culto”, concluiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.