Ministro da Cultura tem estado a "trabalhar bem" com Conselho Geral Independente da RTP

Ministro da Cultura tem estado a "trabalhar bem" com Conselho Geral Independente da RTP

 

Lusa/AO online   Nacional   13 de Jul de 2016, 17:53

O ministro da Cultura, Luís Castro Mendes, afirmou que tem estado a "trabalhar bem" com o Conselho Geral Independente (CGI), órgão de supervisão da administração da RTP criado pelo anterior executivo.

 

Luís Castro Mendes falava na comissão parlamentar de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto.

Em resposta a questões colocadas pelo deputado do PSD Sérgio Azevedo, nomeadamente sobre o CGI, um novo modelo de governação da RTP, criado pelo anterior executivo, Castro Mendes afirmou: "Estamos a trabalhar bem com este modelo, não temos tido problemas, não temos tido dificuldades".

"Tenho trabalhado satisfatoriamente com o Conselho Geral Independente", acrescentou o governante.

Relativamente à administração da RTP, o ministro da Cultura reiterou que "as linhas que a RTP tem vindo a seguir vão ao encontro" daquilo que a tutela espera.

"Reconhecemos que a administração da RTP satisfaz", disse.

Sobre a agência de notícias portuguesa, Luís Castro Mendes afirmou: "Fizemos um esforço para aumentar as verbas da Lusa".

O governante recordou que a resolução do Conselho de Ministros sobre a indemnização compensatória da Lusa é recente.

"É na ordem dos 15 milhões de euros", um aumento de 20,3% relativamente ao passado, o que "implica um esforço muito grande da nossa parte em dar meios à agência nacional de informação", acrescentou.

Sobre a alteração do financiamento da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), prevista no programa do Governo, o ministro disse já se ter reunido com o regulador dos media.

"Na questão da revisão do modelo de financiamento não pode ser tudo feito em três meses. Já ouvi a ERC, estamos a trabalhar sobre esses problemas", disse.

Relativamente às preocupações manifestadas pela Plataforma de Media Privados (PMP), nomeadamente no que respeita à concorrência desleal de canais estrangeiros no mercado português, Luís Castro Mendes disse que a situação já tinha sido abordada com a tutela.

"Foi abordada connosco, estamos a examinar à luz da legislação europeia", afirmou.

No que respeita aos incentivos da comunicação social regional, o ministro disse que as verbas foram desbloqueadas.

"Posso-vos assegurar que está em vias de tramitação a libertação de verbas para o apoio à comunicação social regional e local", adiantou o governante.

Sobre a RTP Açores, o ministro avançou que o centro regional vai ser "objeto de uma remodelação a nível de direção, infraestruturas e equipamentos", acrescentando que em Ponta Delgada será concentrada a atividade da rádio e da televisão no edifício afeto atualmente apenas à rádio.

"Há um projeto de também fazer um museu da televisão nesse edifício", acrescentou.

O investimento em infraestruturas e equipamentos, disse o ministro da Cultura, "é considerável, de quase dois milhões de euros".

O governante afirmou que, em termos de pessoal, há uma questão em que a administração da RTP "foi sensível".

"A insularidade cria exigências especiais", pelo que "seria conveniente ter pessoas para cada ilha", considerou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.