Ministro da Cultura considera cinema área essencial mas não se compromete com mais apoios

Ministro da Cultura considera cinema área essencial mas não se compromete com mais apoios

 

LUSA/AO Online   Nacional   13 de Dez de 2015, 13:56

O ministro da Cultura, João Soares, considera que o cinema é uma área essencial, embora se tenha escusado a concretizar que tipos de apoios poderão vir a ser dados, por estar no Ministério há poucos dias.

"O cinema é qualquer coisa de perfeitamente essencial em tudo que tem a ver com a cultura, mas não posso ir além muito além disso", alegou. À entrada para a antestreia do novo filme de António-Pedro Vasconcelos, que decorreu em Viseu, João Soares sublinhou aos jornalistas que o cinema é uma área importante, embora não seja a única. "Quando vocês quiserem vir a Lisboa ao Ministério, terei o maior prazer em dar-vos informação e detalhe sobre o que se tem estado a fazer também nesta matéria", acrescentou. O titular da pasta da Cultura realçou que a sua chegada ao Ministério da Cultura aconteceu apenas há quatro dias e que este apenas existia enquanto Secretaria da Cultura, "com um peso político e institucional muito reduzido". "Portanto, deixem-me primeiro com tranquilidade, mas com imensa determinação, tomar conta dos dossiers para poder dar resposta concreta. Não sou homem para fazer promessas que depois não possa cumprir",referiu. Sobre a sua presença na antestreia de "Amor Impossível", frisou que fica a dever-se "a uma profundíssima admiração" que tem pelo António-Pedro Vasconcelos e pela sua "obra absolutamente notável". "O último filme dele, como praticamente todos os outros, deslumbrou-me. E depois é também um sinal da importância que nós damos ao trabalho cultural, que darei enquanto ministro da Cultura ao trabalho cultural em cidades como Viseu", sustentou. O representante do Governo referiu também que a cidade de Viseu é "uma cidade absolutamente modelar e exemplar" e que pretende que a cooperação entre o Ministério da Cultura e a Câmara de Viseu se prolongue no futuro, "de uma forma ainda mais sistemática". "Tenho uma grande satisfação por ver que um filme desta importância foi rodado praticamente integralmente em Viseu", concluiu. Com produção de Tino Navarro e apoio financeiro do Instituto do Cinema e do Audiovisual, a décima longa-metragem de António-Pedro Vasconcelos conta no elenco com Victória Guerra, José Mata, Ricardo Pereira e Soraia Chaves. O argumento é de Tiago Santos, colaborador de António-Pedro Vasconcelos nos filmes mais recentes. "Amor Impossível" decorre praticamente ao longo de toda a trama em Viseu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.