Ministro anuncia "vistoria" às condições de segurança de equipamentos coletivos

Ministro anuncia "vistoria" às condições de segurança de equipamentos coletivos

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Fev de 2018, 14:53

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, anunciou esta sexta-feira que vai ser feita uma grande “ação de identificação do respeito pelas regras de segurança” em equipamentos coletivos, para evitar tragédias como a de Tondela.

“Vamos fazer, em articulação com a Federação Portuguesa das Coletividades de Cultura e Recreio e com a Associação Nacional de Hotelaria e Restauração uma grande ação de identificação do respeito pelas regras de segurança em equipamentos de utilização coletiva, porque tragédias como a de Tondela têm de ser prevenidas”, anunciou Eduardo Cabrita, que falava na inauguração do novo posto territorial da GNR de Ílhavo, distrito de Aveiro.

Para o ministro, “tem de haver um esforço nacional, mas também local, de sensibilização pedagógica e de ação preventiva”, pelo que nessa ação as juntas de freguesias “são essenciais” porque “conhecem todas as coletividades e os seus responsáveis”.

Eduardo Cabrita referiu igualmente o combate aos fogos florestais como uma área decisiva do reforço do investimento em prevenção da segurança.

Anunciou que vão ser duplicados e estendidos a todo o território nacional os grupos de intervenção, prevenção e segurança (GIPS) da GNR, com mais 500 elementos, o serviço de proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) receberá mais 100 efetivos e serão ainda admitidos mais 200 guardas florestais.

Segundo o ministro, a prevenção é da responsabilidade de todos, pelo que a GNR e outras forças de segurança estão a sensibilizar os proprietários de que os terrenos, numa envolvente de 50 metros às casas, têm de ser limpos, assim como numa extensão de 100 metros em torno de cada aldeia.

O novo posto territorial da GNR de Ílhavo, que Eduardo Cabrita inaugurou hoje, resultou da adaptação de uma antiga escola, numa parceria com a autarquia.

O ministro realçou, propósito, a dimensão do investimento em curso este ano nesta área específica, passando de 3,9 milhões de euros em 2017 para 19,6 milhões de euros em 2018, ao abrigo da Lei das Infraestruturas das Forças de Segurança, estando já executadas 28 empreitadas e 48 em fase de projeto.

O facto de o posto de Ílhavo ter uma frota com uma idade média de 17 anos foi o mote para o ministro referir que está em curso o concurso plurianual para aquisição de novas viaturas para as forças de segurança, que deverão receber ainda este ano 250 novas viaturas e mais cerca de 500 no próximo ano.

Antes, Eduardo Cabrita havia escutado o presidente da Câmara de Ílhavo, que descreveu o longo processo iniciado em 2009 para que houvesse um novo posto territorial, sucedendo-se os protocolos entre a administração central e a autarquia, que culminaram com a cedência e aproveitamento da antiga escola.

“O que se fez em parceria é o exemplo do que queremos fazer muito mais. O que se passou (a “lenta burocracia”), demorando quase uma década, é o que não voltará a acontecer”, garantiu o ministro.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.